homenagem interna 484-300

Delegados/as também aprovaram o Plano de Lutas que vai nortear as ações da Central até o próximo Congresso, em 2015.

O grande destaque deste último dia foi a emocionante homenagem prestada aos/as companheiros/as vítimas do golpe militar.

Com fé e coragem, dedicaram suas vidas à luta pela liberdade e democracia e são hoje exemplos para nortear o caminho de construção de uma sociedade justa, igualitária, solidária e verdadeiramente democrática.

Ao som da música 'Andanças' interpretada pela cantora Beth Carvalho, os delegados e delegadas balançavam uma rosa com a frase do poeta Bertold Brecht - "Os poderosos podem matar uma ou duas rosas, mas nunca conseguirão deter a chegada da primavera" -, ao mesmo tempo em que pessoas adentravam ao Plenário carregando um cartaz com a foto e o nome de cada homenageado.

"Contar a história pelas nossas mãos para que nunca mais aconteça", resumiu Expedito Solaney, secretário de Políticas Sociais da CUT.

Rosas em homenagem aos combatentes - Como sempre tem feito, Solaney fez questão de ressaltar a atuação dos militares para desmantelar a organização da classe trabalhadora.
Somente no primeiro dia do golpe, 400 sindicatos do campo e da cidade sofreram intervenções do Estado. Ao longo dos 21 anos de ditadura, diversas diretorias foram cassadas, líderes sindicais perseguidos, torturados, mortos e muitos ainda seguem desaparecidos.

Uma das primeiras ações dos militares foi acabar com a estabilidade no emprego. Logo depois vieram os inúmeros atropelos aos direitos trabalhistas como a lei do arrocho salarial, lei de greve, demissões, ataque a liberdade, fim das organizações sindicais.

Quando o governo militar promulgou a Lei de Anistia no final da década de 70, reconheceu a existência de 500 mortos e desaparecidos. Destes, quase 60% eram trabalhadores.
Agir contra a impunidade - O dirigente da CUT ressaltou o protagonismo da Central na luta pela redemocratização do País e elogiou a coragem do governo Dilma em instalar uma Comissão Nacional da Verdade, mesmo que
tardia (27 anos depois do fim da ditadura).

"Queremos que o relatório final da CNV traga em suas recomendações a revisão da Lei de Anistia para que possamos julgar e punir todos os militares", disse Solaney.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, acrescentou que a iniciativa de julgamento e punição não pode se restringir aos militares, mas deve incluir todos que colaboraram para a sustentação da ditadura. “E os empresários, que financiaram a estrutura repressiva, torturadora, assassina do golpe? A sociedade precisa saber disso, e a divulgação de tal história também é uma tarefa nossa e da Comissão Nacional da Verdade”.
O encerramento da Plenária foi espaço também para o lançamento de mais uma edição da revista “Forma & Conteúdo”. O secretário de Formação da CUT, José Celestino, o Tino, destacou a consolidação da rede nacional formativa da Central. “Essa revista, com a contribuição de diversos educadores, assessores e dirigentes, reflete esse momento”.

Plano de Lutas - Na manhã desta sexta foi apresentado também o Plano Nacional de Lutas, um conjunto de diretrizes para as ações da CUT daqui até o próximo Congresso Nacional, que acontece no ano que vem.
O Plano foi elaborado por consenso entre todas as correntes políticas que compõem a CUT, e portanto de conhecimento de todos os delegados e delegadas presentes.

Entre os destaques do Plano, o firme posicionamento da Central contra os bombardeios de Israel sobre o povo palestino e pelo fim do conflito que já dura décadas – tema que mereceu igualmente uma moção assinada por todos os presentes e que percorrerá todos os sindicatos antes de ser entregue a autoridades do Estado de Israel.
Outro tema recorrente é a necessidade de reeleger o projeto político representado pela presidenta Dilma, o que inclui governadores e parlamentares identificados com o projeto. Neste item, está decidido inclusive que a CUT e integrantes de outras centrais que defendem a reeleição de Dilma farão uma plenária de apoio no próximo dia 7, no Ginásio do Canindé, em São Paulo.

Empenho para obter uma maciça votação no Plebiscito Popular pela Reforma Política, que acontece entre os dias 1º e 7 de setembro, é outro ponto abordado pelo Plano. No próximo dia 12 de agosto, acontece o Dia Nacional de Mobilização do Plebiscito, quando haverá panfletagem e corpo-a-corpo em todas as regiões do Brasil.

Avaliação - Sobre os resultados da Plenária, Sérgio Nobre, secretário-geral da CUT e coordenador da atividade, afirmou: “Conversei com todos os delegados e delegadas ao longo dessa semana e todos têm me dito que saem desses debates muito mais energizados e bem preparados para enfrentar nossos desafios. Outro aspecto importante é acompanhar as intervenções em plenário e confirmar, mais uma vez, a qualidade e o preparo de nossos dirigentes e militantes. Por isso somos, disparados, a melhor Central sindical do Brasil”.

Para o presidente Vagner Freitas, a Plenária foi uma das mais importantes da história da Central. “A unidade com os movimentos sociais confirmada por esta Plenária, nosso posicionamento frente ao período eleitoral, a reação da direita a nossas ações comprovam que somos protagonistas no enfrentamento da elite preconceituosa e antinacionalista”, disse. E lançou um desafio: “Em cada esquina onde houver um conservador ou direitista falando inverdades, haverá um ou uma militante desta Central fazendo o debate político qualificado”. 

CUT SP

04/08/2014

 

Escrito por: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

camp 1camp 2 camp 3

Reuniram-se, na Subsede do SITRAEMFA, em São Miguel Paulista, com o companheiro Chiquinho, coordenador da campanha do deputado federal Francisco Chaga e os diretores da Rede Conveniada Maria Gusmao (leste 1), Maxwel Moraes (leste 2), Fatima Paiva (leste 3) e Tenilda Oliveira (leste 2) e Terezinha (Oeste) e os diretores da Fundação Casa Jaqueline Melo (Baixada Santista), Egnaldo (Marilia), Patrick (Iaras), Alan Marcio (Campinas) e o companheiro André, representante de base, (Aguas de Santa Barbara) com o objetivo de discutir o apoio as candidaturas dos companheiros Francisco Chagas à Deputado Federal e Teonílo Barba à Deputrado Estadual.

Durante a discussão foi falado da história de luta dos dois companheiros e da importância de centrar forças nas campanhas da companheira Dilma para presidente e do companheiro Padilha para governador. Ao final da reunião todos os diretores presentes decidiram apoiar a candidatura dos companheiros Francisco Chagas e Teonílio Barba para deputado federal e estadual respectivamente.

 

           bandeira do Brasil

            O Brasil vive um dos melhores momentos de sua história. O crescimento social e econômico com distribuição de renda tem sido um diferencial em relação às décadas anteriores. Outra questão que tem elevado, positivamente, esse momento é a realização de grandes eventos esportivos e sociais. Um exemplo disso é a realização da Copa do Mundo de Futebol. Mesmo com um grande numero de pessimistas os quais diziam que não ia ter copa e a realização de inúmeras manifestações contra o evento.

A Copa é uma realidade e tem se mostrado um grande sucesso. Até o presente momento não houve um incidente negativo e pesquisa realizada sobre o olhar dos turistas em relação ao Brasil tem demonstrado que os mesmos estão satisfeitos com a receptividade do povo brasileiro. Existem problemas, claro que sim, com houveram em outros países, mas nada que coloque em risco o sucesso do evento. Está demonstrado que houveram ganhos com a realização da copa em diversas áreas como geração de trabalho e renda, infra-estruturar, comercio e desenvolvimento econômico das regiões sedes dos jogos.

            Fazemos saber que iniciamos o assunto com essa introdução para repudiar a manifestação ocorrida no jogo de estréia da Copa, na Arena Corinthians, onde foi protagonizada a maior demonstração de falta de respeito e patriotismo promovida por grupos da elite brasileira. Sabemos que a referida manifestação não representa o sentimento da maioria do povo brasileiro que, por natureza, é respeitador, ordeiro, educado e sabe receber bem as pessoas e rechaçam esse tipo de manifestação desrespeitosa e ofensiva que depõe contra a imagem do Brasil mundo a fora. 

Principalmente quando atinge um dos maiores símbolos da nação brasileira, a presidenta da república. Como pode ser visto, fica caracterizada a revolta e o revanchismo da elite brasileira contra as medidas populares e o sucesso do governo da presidenta Dilma.

A elite tacanha e fascista ”protesta” nas poltronas luxuosas dos imponentes estádios, que como dizem: foram construídos com dinheiro público. Isso é o cumulo da incoerência e do absurdo. Para a felicidade da grande maioria, a Copa do Mundo está acontecendo e é um sucesso. A população está cada vez mais se envolvendo e participando do evento.

Vamos entender o que está por traz dessa manifestação. Sabemos que Copa do Mundo não é o foco das manifestações. Ou seja, o que está em jogo é são a eleição presidencial de outubro deste ano. A elite brasileira vê mais uma vez a possibilidade de uma nova derrota nas urnas. Acreditam que, se a copa for um fracasso, ganham a eleição e passam a governar o país. Esse é o desejo e objetivo dessa elite fascista.

O Brasil tem nos últimos 12 anos gerando milhares de postos de trabalho e gerando renda para os que mais necessitam. Do mesmo modo, vem promovendo o maior crescimento econômico e social já visto. O desenvolvimento tem gerando o acesso da população pobre aos bens de consumo, a trabalho de qualidade e renda digna, a educação e acesso aos bens culturais e ao turismo.

A elite brasileira não se conforma em ver os filhos dos trabalhadores, hoje, sentados no mesmo banco de universidades que os seus filhos e, não admitem que, nas salas de aulas, estejam estudando juntamente com seus filhos, uma grande parcela de estudantes negros. Imagina tem que viajar nos aviões ao lado de pessoas que não são da sua classe. Isso é um ultraje. E isso é culpa desse governo.

            Por este motivo, o SITRAEMFA manifesta o seu apoio, primeiro a pessoa da presidenta Dilma e repudia veementemente a atitude dessa elite hipócrita e fascista que não fez em 500 anos o que o PT fez, com os governos Lula e Dilma, pelo Brasil nos últimos 12 anos.

Por fim ratificamos o apoio deste sindicato ao governo da presidenta Dilma e procurará fazer o que for possível para a sua reeleição. Não nos resta dúvida que este é caminho certo a seguir. E que o Brasil precisa continuar trilhado rumo a um futuro de prosperidade e desenvolvimento com sustentabilidade para todos os brasileiros.

Informamos que não haverá atendimento de homologações nos dias 12 e 19 de junho em função dos feriados. E não haverá cobrança de multas.

Nos demais dias o atendimento se dará normalmente.

 

A direção

 

Mesa “Políticas afirmativas da CUT/SP” discutiu, ainda, questões dos trabalhadores/as LGBT e com deficiência no último dia da 14ª Plenária Estatutária

Escrito por: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Para aproximação com a juventude, Adriana defendeu mudança no discurso conservador
Para aproximação com a juventude, Adriana defendeu mudança no discurso conservador
Fotos: Gladstone Barreto
“Quem dará continuidade às conquistas, com os valores e princípios da CUT? O nosso jeito de fazer as coisas atrai a juventude?”. Com esses questionamentos, a secretária de Imprensa da CUT São Paulo, Adriana Magalhães, abriu o debate sobre os jovens no sindicalismo na mesa “Políticas afirmativas da CUT/SP”, na sexta (30), último dia da 14ª Plenária Estatutária, em Guarulhos.

As discussões contemplaram, ainda, as ações e bandeiras da Central ligadas às mulheres, à população LGBT e trabalhadores/as com deficiência, com a participação de Sonia Auxiliadora, secretária da Mulher Trabalhadora da CUT/SP, e João Batista Gomes, secretário de Políticas Sociais da CUT/SP.

Para Adriana, o desafio de organizar a juventude no movimento sindical deve ser uma preocupação constante dos dirigentes, para formação de novas lideranças capazes de construir os próximos 30 anos da Central. Ela criticou a falta de diálogo com os jovens, principalmente da periferia, que são maioria nos postos de trabalho terceirizados e precarizados. “Nosso discurso é conservador e esse não é o diálogo que deve ser feito com essa faixa etária. Se é difícil fazer essa conversa dentro da própria família, imagina nos locais de trabalho”.

A dirigente defendeu o aprofundamento da reflexão e a discussão de temas como a descriminalização da maconha e o alcoolismo, a violência e a mortalidade juvenil que atingem principalmente os negros/as das regiões periféricas, e a qualidade da educação pública para politizar os jovens. “Se não há um professor militante, não se discute política e nem orientação sexual nas escolas”.

Adriana destacou experiências de sindicatos cutistas, dentre as quais a realização de festivais de cultura e hip hop, encontros intergeracionais e intercâmbio com movimentos sociais, como o MST. “São formas de oxigenar e fazer com que a CUT seja um instrumento de mobilização e participação da juventude. Viemos para o movimento sindical pela semente da indignação e nossa politização se deu ao longo do processo”, observa Adriana.

Gomes: Coletivos são fundamentais para avanços e garantia de direitos dos trabalhadores/as
Gomes: Coletivos são fundamentais para avanços e garantia de direitos dos trabalhadores/as
Discutir a raiz do problema – O secretário de Políticas Sociais da CUT/SP fez um balanço das ações do último período, ressaltando o papel dos coletivos para promover avanço nas pautas e conquistas. “Sem diálogo nos sindicatos, não há como levar a discussão para outros locais e nem chegar à raiz do problema para intensificar o combate à discriminação e à homofobia”, diz Gomes.

No Coletivo Estadual da Pessoa com Deficiência da CUT São Paulo, o secretário pontuou como desafio o cumprimento da lei de cotas de contratação nas empresas a partir de 100 funcionários que, por conta da falta de fiscalização pelo Ministério do Trabalho e Emprego, ainda gera dificuldades na garantia desse direito.

Gomes destacou, ainda, que os membros do coletivo estão engajados nas discussões da Lei Complementar nº 142/2013, que dispõe sobre aposentadoria especial para pessoas com deficiência. Para o dirigente, os sindicatos devem se apropriar do tema, pois, apesar da legislação aprovada pela presidenta Dilma, há problemas com os peritos do INSS na avaliação de quem reivindica o benefício.

Sônia:
Sônia: "Temos mulheres capazes de assumir qualquer posto de comando de direção"
Igualdade de gênero - A secretária da Mulher Trabalhadora da CUT/SP, Sonia Auxiliadora, ressaltou que o mundo sindical precisa mudar seu pensamento e sua ação. "A paridade não é mais uma regra a ser cumprida. Deve ser encarada como um desafio, em sua complexidade".

Para Sonia, um novo modelo de sociedade se constrói com igualdade entre homens e mulheres. "Qual será o debate real que faremos agora sobre a composição da nossa próxima direção? Que cargos nós ocuparemos? Porque já comprovamos que temos mulheres capazes de assumir qualquer posto de comando de direção".

Outro desafio citado pela secretária é o da responsabilidade compartilhada. "Temos feito esse debate nos espaços de luta, inclusive internos. Perguntamos aos companheiros se eles dividem as tarefas do dia a dia com as suas companheiras".

A dirigente afirma que está na hora de o movimento sindical reconhecer o potencial de crescimento que as mulheres têm. "Se fizermos as nossas políticas voltadas para as diferenças de gênero, teremos maior igualdade. A inclusão da juventude e das mulheres precisa ser encarada. Esse debate deve ser de todos e todas, entre as diferentes categorias", concluiu.

falta agua 484-300

Movimentos sindical, social e estudantil vão às ruas denunciar falta de investimentos, com mobilização a partir das 9h, na Estação Pinheiros, zona oeste da capital

 

Escrito por: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), seus sindicatos filiados, entidades dos movimentos social e estudantil e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) realizarão um grande ato no próximo dia 5 de junho (quinta-feira) para esclarecer a população sobre a grave crise no abastecimento de água e denunciar o descaso do governo estadual com a falta de investimentos no setor. A concentração será a partir das 9h, na Estação Pinheiros (Linha 4-Amarela), localizada na Rua do Sumidouro, próxima à Praça Vitor Civita, em Pinheiros, zona oeste da capital.

A mobilização foi deliberada por dirigentes sindicais e representantes dos movimentos sociais após o seminário “A Crise da Água em São Paulo”, ocorrido no último dia 13 de maio na Assembleia Legislativa de São Paulo, no qual os participantes foram unânimes em apontar o problema da seca como consequência da má gestão do governo estadual do PSDB e da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

O 5 de junho também foi escolhido porque a data marca o Dia Mundial do Meio Ambiente, definido pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que, em 2014, terá como enfoque a questão das mudanças climáticas.

Em São Paulo, vivemos numa região pior que o semi-árido nordestino, afirma especialista

Clique aqui para ler o Boletim sobre a água produzido pela CUT e movimentos

A CUT São Paulo defende outro modelo de gestão estadual diante da irresponsabilidade do governo Geraldo Alckmin (PSDB) com os serviços públicos, não só em relação à água. A falta de investimentos em transporte público é outra área afetada, pois há tempos a classe trabalhadora sofre, cotidianamente, com os problemas de mobilidade urbana.

“Não é possível que a população pague a conta pela estiagem e o desabastecimento, principalmente diante da inércia e irresponsabilidade do governo estadual paulista que, por duas décadas, deixou de investir em obras e planos de contingência para aproveitamento dos recursos hídricos”, afirma Adi dos Santos Lima, presidente da CUT São Paulo.

Até o momento, a aposta do governo tucano se restringe à campanha educativa e desconto na conta daqueles que reduzirem o consumo. O racionamento continua sendo negado, mas a realidade é que diversos bairros da periferia paulistana sofrem com o revezamento no fornecimento de água.

Emprego em risco - Além dos transtornos à população, a crise da água, alerta o dirigente, pode afetar mais o emprego do que o apagão da energia ocorrido em 2001, pois a eletricidade podia ser fornecida por geradores, mas a água não tem substituto. “Quando a água é insumo da produção, o desabastecimento pode colocar o emprego em risco”, afirma Adi.

Indústria e agricultura estão os setores alarmados. Há empresas que já têm a produção afetada e outras sinalizam o impacto financeiro negativo.

Água não é mercadoria – A Sabesp é uma empresa de economia mista que desde 2002 tem ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo e de Nova Iorque, nos Estados Unidos, e se transformou numa corporação voltada ao lucro e não à gestão, planejamento e investimentos em saneamento básico. O governo estadual é acionista majoritário da companhia, com 50,3% das ações e, assim, é o maior beneficiado com os dividendos – os lucros chegam a R$ 2 bilhões anuais.

A questão é que, até 2011, nenhum dividendo foi investido em saneamento. Os aportes só começaram em 2014 com o lançamento do programa Pró-Conexão, que subsidia as instalações internas das casas da população de baixa renda para ligação à rede de esgotos.
 
Entre outras entidades, o ato contará com a participação do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Levante Popular da Juventude, União Nacional dos Estudantes,  Marcha Mundial de Mulheres e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. 

O Desafio do Século" é o tema em destaque. Além do ato político e inter-religioso, programação no Anhangabaú terá teatro e shows com Leci Brandão e Péricles, entre outras atrações.

Escrito por: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O Dia Internacional do Trabalhador (a) 2014 será comemorado no Vale do Anhangabaú com um grande evento preparado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e pela Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB).

Com o tema Comunicação: O Desafio do Século, as atividades terão início às 10h e se estenderão até por volta das 20h, no Vale do Anhangabaú, centro da capital, com atos político e inter-religioso, apresentação teatral e shows com artistas como Belo, Paula Fernandes, Leci Brandão, Pixote, Michel Teló e Péricles, entre outros.

“O dia 1º de Maio é a data mais importante da classe trabalhadora. Mais do que comemorar as conquistas, é um momento para refletirmos sobre os próximos desafios e a união das centrais significa força e disposição para enfrentarmos esses desafios”, afirmou o presidente da CUT São Paulo (CUT/SP), Adi dos Santos Lima.

Para o dirigente, a escolha do tema comunicação veio da necessidade de se aprofundar o debate sobre o assunto. “Precisamos intensificar a luta pela comunicação como um direito humano, como está na nossa Constituição Federal, e pela necessidade urgente da democratização da mídia para garantir a pluralidade de ideias e a consolidação da democracia no Brasil”.

Como acontece há cinco anos consecutivos, as comemorações do Dia do Trabalhador (a) organizadas pela CUT vão além do evento do dia 1º de Maio. Iniciadas em março, as atividades, todas ligadas ao tema central, envolvem a realização de oficinas, seminário internacional, concurso de fotografia, torneio de futsal e, este ano, a comemoração dos 30 anos de fundação da CUT São Paulo, a serem completados em 29 de abril.

Oficinas regionais – Foram realizados debates em todas as 19 Subsedes da CUT/SP espalhadas pelo estado, incluindo a capital, no período de 13 de março a 17 de abril. As discussões destacaram O Novo Marco Regulatório para a Democratização dos Meios de Comunicação no Brasil; Internet: Marco Civil e as Redes Sociais; e Estratégias de Comunicação e Experiências do Movimento Sindical.

Seminário internacional – No dia 28 de abril (segunda-feira), ocorrerá o Seminário Sindical Internacional no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (Rua João Basso nº 231, Centro - São Bernardo o Campo), que contará com a presença de representantes internacionais e nacionais, além da direção executiva da CUT Nacional e Estadual. Entre os nomes confirmados estão Franklin Martins, ex-ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República; o deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ) e Pablo Capilé, do coletivo Fora do Eixo.

Em três mesas, os participantes debaterão o novo marco regulatório e Marco Civil da Internet, além de narrativas independentes sobre jornalismo e ações de comunicação. O evento é reservado a dirigentes sindicais e convidados.

Concurso de fotografia – A primeira atividade da programação foi o lançamento do Concurso de Fotografia Prof. Carlos Ramiro, com o tema Trabalho Decente. Os autores das três melhores fotos, nas categorias amador e profissional, serão anunciados no dia 29 de abril (terça-feira), durante evento de comemoração dos 30 anos da CUT São Paulo. (veja a seguir). No mesmo dia, será inaugurada exposição com os 20 trabalhos (10 de cada categoria) mais votados pelos internautas.

Torneio de Futsal – Trabalhadores e trabalhadoras de diversas categorias disputam o Torneio de Futsal Prof. Carlos Ramiro – denominação em homenagem ao ex-professor e ex-dirigente da CUT/SP, que faleceu em setembro de 2013. Iniciada em março, em parceria com o Sesi, a competição terá sua final dos times masculinos e femininos no dia 27 de abril (domingo), a partir das 8h, no Ceret Tatuapé (Rua Canuto de Abreu, s/nº), com show do Grupo Nuwance.

Aniversário da CUT São Paulo – No dia 29 de abril (terça-feira), a CUT/SP completa 30 anos de fundação e a data será comemorada com um evento, a partir das 18h, no Sindicato dos Químicos de São Paulo, mesmo local onde funcionou sua primeira sede. Além do encerramento do Concurso de Fotografia e inauguração da exposição, serão prestadas homenagens aos ex-presidentes da CUT Estadual. O Sindicato dos Químicos de SP fica na Rua Tamandaré, 348, Liberdade.

Dia do Trabalhador – O Vale do Anhangabaú será o palco de diversas atrações no dia 1º de Maio(quinta-feira), a partir das 10h, com um ato inter-religioso, seguido de espetáculo teatral contando a história da comunicação no Brasil. Às 16h haverá ato político-social das Centrais Sindicais CUT, CTB e CSB e várias atrações musicais como Sampa Crew, Art Popular, Leci Brandão, Maria Cecília & Rodolfo, Pixote, Paula Fernandes, Michel Teló, Belo e Péricles & Banda.

As comemorações também ocorrerão na zona sul da capital, no Parque das Árvores (Avenida do Arvoeiro, altura do nº 395), em Cidade Dutra, com prestação de serviços de saúde, beleza, educação e cidadania à população, além de parque infantil, contação de histórias e cinema. No palco, entre outras atrações, estarão a banda de reggae Ponto de Equilíbrio, a cantora Paula Lima e o rapper GOG.

Hot site – Detalhes da programação e outras informações estão disponíveis no hot sitewww.1demaiocutsaopaulo.com.br

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES
27/04, a partir das 8h – Final do Torneio de Futsal Prof. Carlos Ramiro
Ceret Tatuapé - Rua Canuto de Abreu, s/nº - Tatuapé – São Paulo/SP

28/04, a partir das 8h – Seminário Sindical Internacional “Comunicação: O Desafio do Século”
Sindicato dos Metalúrgicos do ABC - Rua João Basso nº 231, Centro - São Bernardo o Campo/SP

29/04, às 19h – Aniversário da CUT São Paulo e entrega do prêmio aos ganhadores do 1º Concurso Fotográfico Prof. Carlos Ramiro
Sindicato dos Químicos de São Paulo - Rua Tamandaré, 348, Liberdade – São Paulo/SP

1º de Maio
10h às 20h – Comemoração do Dia do Trabalhador (a) da CUT, CSB E CTB
Vale do Anhangabaú, região central da capital paulista (Metrô Anhangabaú/Linha3-Vermelha ou São Bento/Linha1-Azul)

A partir das 9h – Comemoração do Dia do Trabalhador (a) na Zona Sul
Parque das Árvores - Avenida do Arvoeiro, altura do nº 395 –– Cidade Dutra – São Paulo/SP

mulheres da cut

No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a CUT São Paulo organiza e apoia diferentes atividades na capital e no interior, junto aos movimentos sociais, subsedes cutistas, ramos e entidades filiadas.

O destaque é dado para o dia 8 de março, quando trabalhadoras e trabalhadores da CUT/SP irão às ruas da capital paulista para exigir uma sociedade com igualdade, liberdade e autonomia.

A atividade terá concentração às 9h, no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista nº 1578, de onde sairá a caminhada até a Praça Roosevelt, próxima às estações de metrô República e Anhangabaú.

A secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT/SP orienta que todas (os) as trabalhadoras (es) participem das oficinas temáticas do 1º de maio que abordará a democratização das comunicações, onde também se enquadra o debate sobre como a mulher é tratada na mídia, que reproduz preconceitos e estereótipos.

Confira, abaixo, a programação completa:

06 DE MARÇO

Lançamento do Coletivo de Mulheres da Subsede da CUT/SP em São Carlos, com a presença da secretária da Mulher Trabalhadora da CUT São Paulo, Sonia Auxiliadora
Horário: 18h
Local: Rua Riachuelo nº 942, no centro de São Carlos

07 DE MARÇO 

Dia da Mulher com ação de cidadania da subsede da CUT/SP em Osasco
Horário
: 10h às 16h
Local: Rua Euclides da Cunha, 287 B, no centro de Osasco

Palestra sobre saúde a autoestima da mulher, com o médico Alberto Silva, organizado pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Salto
Horário: 19h
Local: Rua Antônio Vendramini, 258 - Bairro Vila Teixeira – Salto-SP

8 DE MARÇO

Ato unificado do Dia Internacional da Mulher 
Horário
: concentração às 9 horas
Local: A concentração começa às 9h, no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista nº1578,  de onde sairá a caminhada até a Praça Franklin Roosevelt, próximo às estações de metrô República e Anhangabaú.

Panfletagem do Jornal da CUT/SP - Edição especial do mês de Março, organizado pela subsede da CUT/SP em Bauru
Horário: 10h
Local: Calçadão da Rua Batista de Carvalho, esquina com a Rua Treze de Maio, em Bauru-SP

Atividade do Dia Internacional da Mulher, com participação da subsede da CUT/SP em Jundiaí
Horário: 10h
Local: a confirmar 

Marcha do Dia Internacional da Mulher em São Carlos, 
com presença da subsede cutista
Horário: 
9h
Local: Concentração na Praça Santa Cruz, Centro

09 DE MARÇO

Ato de abertura das atividades do 8 de Março, no Sindicato dos Químicos de São Paulo
Horário: 9h30
Local: Rua Tamandaré, 348 – Liberdade, próximo à estação de metrô São Joaquim

13 DE MARÇO

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Campinas
Horário: 9h às 13h
Local: Auditório do Sindicato dos Bancários de Campinas, na Rua: Ferreira Penteado, 460 Centro

14 DE MARÇO

Debate sobre políticas públicas para mulheres
Horário: 19h30
Local: Rua Júlio Hanser, 140 - Jardim Faculdade – Sorocaba-SP

15 DE MARÇO

Atividade com as mulheres assentadas do Pontal
Horário: 
9h às 17h
Local: A confirmar

19 E 20 DE MARÇO

1º módulo Curso de Gênero para mulheres sindicalistas da CUT/SP
Local: Centro de Formação do Sindsep, Rua Barão de Itapetininga, 163, 2º andar – metrô República

21 DE MARÇO

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Jundiaí 
Horário
: 9h
Local: Associação dos Aposentados, na Rua XV de Novembro nº 1336

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Ourinhos 
Horário
: 9h às 13h
Local: Câmara Municipal de Ourinhos, Rua Expedicionário, 1150, Jardim Matilde

22 de março

22º Encontro da Mulher Vidreira (dias 22 e 23)
Horário
: A partir das 9h
Local: Colônia de férias do Sindicato dos Vidreiros de São Paulo
Rua José Agapito Cardozo nº 376 – Balneário Maracanã – Praia Grande – SP

22 DE MARÇO

Palestra - Dia Internacional da Mulher
Horário: 9h às 12h30
Local: Sindicato dos Funcionários e Servidores da Educação de São Paulo (Afuse), na Rua Sena Madureira, 263 - Vila Clementino – São Paulo-SP

Encontro – Mês da Mulher, organizado pela Federação dos Rodoviários
Horário: 9h às 13h 
Local: Avenida Duque de Caxias, 108, São Paulo-SP
Observação: O Sindicato dos Rodoviários disponibilizará ônibus, que sairá da sede em Santo André-SP, às 7h30.

29 DE MARÇO

Exposição sobre o tema Igualdade, Liberdade e Autonomia com oficina de autoestima
Horário: 9h30 às 13h
Local: A confirmar
Organizado pelo Sindicato dos Calçados de São Paulo

Atividade Mulher, organizado pelo Sindsaúde ABC
Horário: 14h
Local: Av. Pereira Barreto, 1900 – São Bernardo do Campo-SP

30 DE MARÇO

Peça de Teatro com a Cia. Kiwi, promovido pelo Sindicato Bancários de Guarulhos
Horário: A confirmar
Local: A confirmar

 

31 DE MARÇO 

Eleição do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Santo André
Horário: 
A confirmar
Local:
 A confirmar

Atividade permanente do Sindserv - palestras com o tema Mulher
Todas as sextas-feiras
Local: Rua Caetano Zanella, 90, Santo André-SP

2 DE ABRIL

Debate sobre a Mulher com ênfase no "Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva Soberana do Sistema Político"

Horário: 19h
Local: a confirmar

3 DE ABRIL

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio na Baixada Santista

Horário: 9h às 13h30
Local: Settaport, na Rua XV de Novembro, 156 – Centro, Santos-SP

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Guarulhos
Horário
: 13h às 18h
Local: Sindicato dos Bancários, Rua Paulo Lenk, 128 – Centro - Guarulhos

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio Vale do Paraíba 
Horário
: 8h às 13h
Local: a confirmar

04 DE ABRIL

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio no ABC

Horário: 9h às 13h
Local: Sindicato de Refeições Coletivas do ABC, na Rua Príncipe Humberto, 125, no bairro Campestre - Centro de SBC.

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em São José do Rio Preto
Horário: 14h
Local: Clube dos Hoteleiros, Rua Nelson Ferraz Bucater, 245

05 DE ABRIL

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Presidente Prudente
Horário: a confirmar
Local: Rua Ulisses Ramos de Castro, 268, no bairro Bosque

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Araçatuba
Horário: a confirmar
Local: a confirmar

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Itapeva
Horário: a confirmar
Local: Câmara Municipal de Itapeva – Avenida Vaticano, 903, Jardim Europa, Itapeva-SP

11 DE ABRIL

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Ribeirão Preto
Horário: a confirmar
Local: a confirmar

12 DE ABRIL

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio no Vale do Ribeira
Horário: 13h às 17h
Local: A confirmar

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Mogi das Cruzes 
Horário: A confirmar
Local: A confirmar

15 DE ABRIL

 

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio na Capital 
Horário: A confirmar
Local: A confirmar

16 DE ABRIL

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Osasco
Horário
: A confirmar
Local: Auditório do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, à Rua Presidente Castelo Branco, 150 - Centro – Osasco

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio São Carlos
Horário
: 14h às 18h
Local: A confirmar

17 DE ABRIL

Oficina de Comunicação do dia 1º de Maio em Bauru
Horário
: A confirmar
Local: A confirmar

22 e 23 DE ABRIL

1º módulo Curso de Gênero para mulheres sindicalistas da CUT/SP
Local:
 Centro de Formação do Sindsep, Rua Barão de Itapetininga, 163, 2 andar – metrô República, São Paulo-SP

mulheres CUT

No próximo dia 8 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres, trabalhadoras e trabalhadores da CUT São Paulo ocuparão as ruas da capital paulista para exigir igualdade, liberdade e autonomia. A atividade é organizada em conjunto com outras centrais e movimentos sociais.

A concentração começa às 9h, no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista nº 1578,  de onde sairá a caminhada até a Praça Franklin Roosevelt, próximo às estações de metrô República e Anhangabaú.

Neste ano de 2014, em que a CUT/SP completa 30 anos de lutas e conquistas, as trabalhadoras lembram também a importância das mulheres do campo e da cidade na defesa da igualdade, que começa dentro da própria Central: a partir da próxima gestão, a direção deverá ser formada por 50% de dirigentes de cada gênero.

A secretária da Mulher Trabalhadora da CUT/SP, Sonia Auxiliadora, ressalta a importância da atividade para dar visibilidade à luta das trabalhadoras. “Vamos às ruas para dialogar com a classe trabalhadora sobre os problemas enfrentados no dia-a-dia como a falta de creches públicas, igualdade salarial, licença maternidade de 180 dias e a violência contra as mulheres que acontece em casa, nas ruas e no ambiente de trabalho”, afirma.

As dirigentes cutistas também levarão às ruas as histórias de violência que testemunharam em caravana que percorreu o estado no final de 2013. Como resultado da mobilização de 30 dias, as lideranças sindicais entregaram um documento com denúncias à Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR).

Outra pauta deste 8 de março é a defesa de um Plebiscito por uma Constituinte Exclusiva e Soberana que promova a reforma política. A CUT e parceiros dos movimentos sociais encampam esse movimento que defende, entre outras propostas, ampliar a representação das mulheres (elas ocupam apenas 9% dos mandatos na Câmara dos Deputados e 12% no Senado) em espaços políticos como o Congresso Nacional e as Câmaras federal, estaduais e municipais.

JORNAL – A CUT/SP produziu para março o “Jornal Especial Mulher”. Ele traz como lema as “trabalhadoras em luta por uma sociedade com igualdade, liberdade e autonomia”. Clique aqui para ler a publicação

Você sabia?
O Dia Internacional da Mulher foi proposto pela jornalista e política alemã Clara Zetkin, em 1910, no 2º Congresso Internacional de Mulheres Socialistas, em Copenhagen. À época, a militante não sugeriu uma data específica. 

Na década de 70, o dia passou a ser associado de forma equivocada a um incêndio que aconteceu em uma fábrica têxtil de Nova Iorque, em 25 de março de 1911, que vitimou 146 pessoas, das quais 125 eram mulheres. Em 1975, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu 8 de março como o Dia Internacional da Mulher.

8 DE MARÇO
Ato unificado do Dia Internacional da Mulher
 
Horário: concentração às 9 horas
Ponto de encontro: Vão livre do Masp, na Avenida Paulista nº1578, ao lado do metrô Trianon-Masp

concurso

Trabalho Decente é o tema do 1º Concurso de Fotografia Prof. Carlos Ramiro, que integra a programação de atividades do 1º de Maio 2014 da CUT São Paulo, que tem como tema "Comunicação: o Desafio do Século". O concurso é aberto a fotógrafos amadores e profissionais e as inscrições poderão ser feitas até 22 de março, por meio do hot site www.1demaiocutsaopaulo.com.br.

Serão premiados os três primeiros classificados em cada categoria (amador e profissional). O 1º lugar profissional ganhará um final de semana com hospedagem no Hotel Canto da Ilha, em Florianópolis (SC), com direito a acompanhante. O 1º lugar amador será contemplado com uma câmera digital Fuji S4800 16Mp. Tanto para a categoria profissional quanto para amador, o prêmio ao 2º lugar será um tablet Samsung de 7" e, para o 3º lugar, um Smartphone LG E405.

Exposição – Além das seis fotos premiadas, 10 trabalhos de cada categoria serão eleitos pelo voto popular eletrônico, de 23 de março a 7 de abril, no hot site do 1º de Maio da CUT-SP. As 20 fotos selecionadas farão parte da exposição itinerante que será inaugurada na cerimônia de premiação, marcada para 29 de abril. Posteriormente, a exposição deverá percorrer as demais 18 Subsedes da CUT-SP em todas as regiões do estado.

O concurso, organizado em parceria com o Coletivo de Cultura da CUT-SP, tem como objetivo estimular a arte e a linguagem fotográfica voltadas para a ação sindical e para a organização do trabalhador e da trabalhadora. “A fotografia mostra a realidade da classe trabalhadora e é, além disso, um instrumento para ajudar na reflexão e educação política classista, de estímulo à unidade da classe e de denúncia das práticas do capital”, definiu Adi dos Santos Lima, presidente da CUT-SP.

 “Temos muito orgulho de realizar este concurso, porque mostra a dimensão do aspecto artístico dos trabalhadores e a pluralidade das ações do Coletivo. Ano passado fizemos o Concurso de Poesia, cuja participação e qualidade surpreenderam”, destacou o coordenador do Coletivo de Cultura, Benedito Augusto de Oliveira, o Benão.

Trabalho Decente – Poderão participar do concurso tanto fotógrafos amadores quanto profissionais. As imagens enviadas deverão ater-se, obrigatoriamente, ao tema proposto para o concurso: Trabalho Decente – mesmo tema doConcurso de Poesia realizado no 1º de Maio de 2013.

Para a CUT, trabalho decente é aquele que é exercido em condições de liberdade, com remuneração adequada,  igualdade e segurança, capaz de garantir uma vida digna aos trabalhadores e trabalhadoras, como define a OIT (Organização Internacional do Trabalho). “Não é possível mais convivermos com situações onde os trabalhadores são impedidos de se organizar no local de trabalho, não têm carteira assinada, não têm poder de compra, são discriminados e até mesmo escravizados. Estas situações têm que acabar e, para isso, precisam ser denunciadas”, explicou o presidente da CUT-SP.

Como participar – Cada participante poderá enviar para seleção até três imagens digitalizadas, coloridas ou preto e branco, com resolução de 300 dpi’s, no formato JPG. Cada arquivo deverá ter no máximo 1Mb. Imagens fora desse tamanho serão rejeitadas pelo sistema de inscrição.

Todas as imagens digitalizadas deverão ter no “File Info” (Informações do Arquivo), ou em “Propriedades”, as seguintes informações, pela ordem: título da foto, autor, local, data e breve descrição de, no máximo, quatro linhas, dos fatos ou personagens registrados.

Posteriormente, será solicitado aos autores das fotos selecionadas pelo público internauta (10 de cada categoria) o reenvio das mesmas em tamanho de 1Mb até 3Mb, formato necessário para impressão das imagens que participarem da exposição fotográfica.

Comissão – O envio do material não garante a participação no concurso. As fotografias serão avaliadas e selecionadas por uma Comissão, formada por profissionais da área, que ficará responsável pela avaliação e seleção das imagens. Os concorrentes cujo(s) trabalhos(s) forem selecionados terão seus nomes divulgados em abril no site da CUT-SP .

 Ao enviar as imagens, o concorrente estará automaticamente concordando com o Termo de Cessão de Direitos Autorais, em que cede, sem custo para a CUT-SP, os direitos de uso das fotografias para fins de exposição e divulgação das imagens nas mais variadas mídias. Além disso, ele também se responsabiliza por qualquer contestação de terceiros, seja no que se refere ao direito autoral, como também ao direito de imagem.

Não poderão participar do concurso funcionários e diretores da CUT-SP, bem como seus parentes.

Homenagem – O 1º Concurso de Fotografia Prof. Carlos Ramiro recebeu essa denominação em homenagem ao ex-professor e ex-dirigente da CUT-SP, que morreu em 5 de setembro de 2013. Conhecido como Carlão da Apeoesp, o dirigente sempre será lembrado como educador dedicado, guerreiro da classe trabalhadora e grande defensor do ensino público de qualidade.

1º Concurso de Fotografia Prof. Carlos Ramiro
Tema: Trabalho Decente
Inscrições: Gratuitamente, até 22 de março, exclusivamente pelo hot site www.1demaiocutsaopaulo.com.br

Subcategorias

Sitraemfa

Rua Gonçalves Crespo, 324 Tatuapé/SP
Tel: (11) 4324-5915
Horário de atendimento: 08h às 17h

 
 

Filiado a

CUT CNTSS