Home | Justiça e Cidadania
Justiça e Cidadania
Hora extra deve ser paga PDF Imprimir E-mail
Qui, 16 de Outubro de 2014 17:53

hora extra 16 10

A Fundação CASA pelo Comunicado DRH 37/2014, que convocou servidores das equipes psicossociais e pedagógicos para trabalharem em esquema de plantão no próximo feriado comemorativo do dia do servidor publico em 31/10/2014. E ainda foram informados pelas Divisões Regionais, que não seriam pagas as horas extras.

A Direção do SITRAEMFA diante desta denuncia entrou em contato com a Fundação CASA, para que fosse revista esta “fala”, pois as horas excedentes devem ser pagas de acordo com a Convenção Coletiva de Trabalho firmada neste ano de 2014.  

 
Carta aberta à população de São Paulo PDF Imprimir E-mail
Qua, 01 de Outubro de 2014 18:20

carta aberta

 

 
Encontro do GT de Pedagogia PDF Imprimir E-mail
Qua, 01 de Outubro de 2014 17:54

GT pedagogia

No dia 27 de setembro foi realizado mais um encontro do GT pedagogia na sede do SITRAEMFA, que teve como tema a avaliação do 1° Seminário da Socioeducação – SITRAEMFA.

Para o GT as palestras foram ricas, com discussões na mesma proporção, além de aproximar servidores das áreas multiprofissionais. “O seminário repercutiu e foi muito além das expectativas” afirma a dirigente sindical Helena, que é a responsável pelos encontros do GT.

Neste encontro foi discutida também a política assediadora do Governo do Estado, com direitos retirados dos trabalhadores pela Fundação Casa via TST. E os trabalhadores em protesto, nos os dias 25, 26 e 27 de setembro servidores indignados com a situação utilizaram camiseta ou vestuário vermelho como protesto. Essa ação política na Fundação CASA é conhecida como “onda vermelha”.

Outro ponto discutido foi o ato público do dia 02/10, às 10h, na frente da sede da Instituição.

Os encontros do GT pedagogia acontecem sempre no último sábado do mês das 9h às 12h, na sede do SITRAEMFA, o próximo encontro será dia 25/10/2014. Compareçam!

 

Obs: A "Onda Vermelha" na Fundação CASA, nasceu há mais de 07 anos, quando um grupo de agentes educacionais indignados contra as injustiças da instituição e pela equiparação salarial do setor, decidiram usar camisetas/roupas para trabalhar  nos centros/unidades, na cor vermelho, todas as sextas feiras, como forma de protesto e reivindicação.

Durante esse tempo, esses trabalhadores foram perseguidos por seus gestores, receberam advertências, e até ousaram tentar impedi-los de trabalharem trajados de vermelho, a perseguição foi intensa, principalmente no Complexo Brás.

A cor escolhida é o vermelho como o maior símbolo de lutas da classe trabalhadora; representa literalmente o sangue derramados por trabalhadores nas conquistas de direitos nas varias e infinitas fases históricas das lutas de classes.

Na FC esses companheiros conseguiram não só a sonhada equiparação salarial, como "contaminar" outros setores no uso de vermelho, como símbolo de uma categoria que não desiste nunca de seus ideais e conquistas.

Cumprimentamos todos os trabalhadores dos setores pedagógicos da FC, em nome do companheiro Francisco, educador, e um dos precursores da "onda vermelha". Francisco nunca deixou de fazer o uso de vermelho nas sextas feiras. Toda nossa reverencia a esse "Velho Comunista" e ao GT Pedagogia que vem lutando de forma resistente contra toda opressão do patrão.


 
Em audiência MP entra com ação contra Fundação CASA pela super lotação PDF Imprimir E-mail
Qui, 25 de Setembro de 2014 19:55

MP

Hoje, 25/09, ocorreu no Ministério Publico de São Paulo audiência convocada pela Promotoria da Infância e Juventude de São Paulo contra a Fundação CASA em função da super lotação em 106 de 116 unidades, o que representa 91,37% de todos os Centros da Instituição.

Para o MP, a manutenção de um número de adolescentes superior àquele comportado por cada uma das Unidades causa “prejuízos expressivos e evidentes” aos menores. “A situação, de séria gravidade, configura flagrante desrespeito aos direitos humanos dos adolescentes, ou seja, infringe os básicos e essenciais direitos garantidos de uma existência minimamente digna”, diz a ação.

O MP pleiteia a oferta das novas vagas necessárias em todo o estado, respeitando a capacidade máxima de 40 internos, com tolerância máxima e unidades de semiliberdade com capacidade máxima de 20 atendidos. Pede, ainda que a Justiça determine à Fundação apresentar, no prazo máximo de 90 dias, cronograma detalhado descrevendo as medidas adotadas e as que serão implementadas. Também foi pedido que, depois disso, a Fundação CASA fique proibida, durante um ano, de custodiar adolescentes acima do percentual de 15% do número de vagas das unidades de internação e semiliberdade.

Para a Fundação CASA estes excedentes advêm das exageradas internações e internações provisórias decretadas pelo Poder Judiciário paulista, principalmente pelo ato infracional de tráfico de drogas, em contradição à orientação da Súmula 492, do Superior Tribunal de Justiça e ainda afirmou que não tem a possibilidade de abrir novas vagas e pediu ao MP que continue com a ação.

 
ATO PÚBLICO CONTRA A FUNDAÇÃO CASA, O GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO E A DECISÃO DO TST PDF Imprimir E-mail
Qua, 24 de Setembro de 2014 18:13

 

convite seminário

PARTICIPE DESTE ATO EM FRENTE A FUNDAÇÃO CASA, NO DIA 02 DE OUTUBRO DE 2014, ÀS 10HS

Mais uma vez o governo do PSDB ataca, de maneira perversa, os direitos dos trabalhadores da Fundação Casa. Para isso se utiliza dos meios jurídicos “legais” para alcançar seus objetivos. Não satisfeita com a vitória dos trabalhadores da categoria, durante a campanha salarial de 2014, a presidência da Fundação Casa recorreu ao TST questionando a decisão favorável do TRT-SP aos trabalhadores, por ocasião das negociações no Núcleo de Dissídios Coletivos do TRT, tendo o TST acatado a pretensão da Fundação e suspendido direitos conquistados.

Diga não a esta política nefasta. Vamos lutar pela manutenção dos nossos direitos adquiridos nesta campanha salarial de 2014.

  • 180 dias de licença maternidade;
  • Auxílio aos pais com crianças portadores de necessidades especiais;
  • Garantia de Vale Alimentação aos afastados de CAT;
  • Segurança no local de trabalho;
  • Condições salubres no ambiente de trabalho.

PARTICIPE DE DESTE ATO PÚBLICO EM FRENTE A FUNDAÇÃO CASA

DIA 02 DE OUTUBRO DE 2014

ÀS 10 HORAS

 


Página 1 de 17

Expediente

Aldo Damião Antonio - presidente
presidencia@sitraemfa.org.br

 

João Faustino - diretor de comunicação
sec.imprensa@sitraemfa.org.br

 

Alessandra Cordeiro - assessoria de imprensa
imprensa@sitraemfa.org.br

Endereço

Sede:
Av. Celso Garcia, 4031, Tatuapé/SP 
Tel.: 11 2090 1850

Subsede Leste -
Rua Arlindo Colaço, 32 - Centro de São Miguel
tel: 11 2033 0150

Endereço:

Sub sede sul:
Rua Ada Negri, 127 - Santo Amaro
Tel: (11) 5641-0183