Tradicional bloco do Brás, 'Pinto do Visconde' sai às ruas no dia 17

WhatsApp Image 2017-02-07 at 19.41.57

 

Com o tema Carnaval da Democracia, bloco deste ano será uma manifestação de resistência e pela promoção do direito à cidade

 Atraindo cada vez mais foliões por ano, especialmente moradores e trabalhadores da região do Brás, no centro de São Paulo, o tradicional bloco “O Pinto do Visconde” já tem data marcada para a saída deste ano: 17 de fevereiro. E a concentração começa a partir das 17h, em frente ao Bar do Gerson, na Rua Caetano Pinto, 611, no Brás, ao lado da sede da CUT.

O bloco, que completa oito anos em 2017, saíra com o tema “Carnaval da Democracia”, pois, segundo os organizadores, apesar do momento de festa, a luta em defesa dos direitos da classe trabalhadora estará presente entre os participantes.

“Neste ano, mais uma vez sairemos em defesa da democracia e será um momento para debater um pouco da conjuntura de retrocessos iniciados pelo governo golpista de Michel Temer, como a retirada de direitos dos trabalhadores. E, como sempre, a CUT estará articulando a comunidade do Brás para participar desse momento”, afirma o presidente da CUT-SP, Douglas Izzo.

O Carnaval de rua de São Paulo, que nos últimos anos voltou a ser referência no país, está sob risco de ser extinto ou ter seu formato totalmente modificado com a gestão do atual prefeito João Doria (PSDB). Desde que assumiu, no início deste ano, o tucano tem promovido ações de repressão e censura às diferentes manifestações de arte e ocupações dos espaços públicos por meio do programa “Cidade Linda”.

Doria ordenou que grafites fossem apagados de pontos famosos da cidade, proibiu o trabalho de artesãos na Avenida Paulista, anunciou a concentração da Virada Cultural num único local, o Autódromo de Interlagos, modificou decreto de zeladoria urbana, assinado pelo ex-prefeito Fernando Haddad, que garantia o respeito no trato à população em situação de rua, e sinalizou que blocos de outros estados terão de pagar até R$ 250 mil reais para desfilar. Por conta disso, o Carnaval deste ano também será uma manifestação de resistência e pela promoção do direito à cidade.

 

História
O bloco 'O Pinto do Visconde’, que integra o calendário oficial do Carnaval de rua da cidade, nasceu da iniciativa de um grupo de amigos que se reunia com frequência no antigo bar Absoluto, nas ruas Visconde de Parnaíba e Caetano Pinto, no Brás.

Organizado pelo Coletivo Estadual de Cultura da CUT-SP, a atividade conta com o apoio da CUT Nacional, da CUT São Paulo, confederações, sindicatos, comerciantes, moradores, trabalhadores e empresas da região.

 

Escrito por: Rafael Silva - CUT São Paulo

 

Serviço
Saída do Bloco de Carnaval ‘O Pinto do Visconde’

Quando: 17 de fevereiro de 2017, com concentração a partir das 17h
Onde: Em frente ao bar do Gerson, à Rua Caetano Pinto, nº 611, Brás, São Paulo-SP

WhatsApp Image 2017-02-07 at 19.41.57

 

Com o tema Carnaval da Democracia, bloco deste ano será uma manifestação de resistência e pela promoção do direito à cidade

 Atraindo cada vez mais foliões por ano, especialmente moradores e trabalhadores da região do Brás, no centro de São Paulo, o tradicional bloco “O Pinto do Visconde” já tem data marcada para a saída deste ano: 17 de fevereiro. E a concentração começa a partir das 17h, em frente ao Bar do Gerson, na Rua Caetano Pinto, 611, no Brás, ao lado da sede da CUT.

O bloco, que completa oito anos em 2017, saíra com o tema “Carnaval da Democracia”, pois, segundo os organizadores, apesar do momento de festa, a luta em defesa dos direitos da classe trabalhadora estará presente entre os participantes.

“Neste ano, mais uma vez sairemos em defesa da democracia e será um momento para debater um pouco da conjuntura de retrocessos iniciados pelo governo golpista de Michel Temer, como a retirada de direitos dos trabalhadores. E, como sempre, a CUT estará articulando a comunidade do Brás para participar desse momento”, afirma o presidente da CUT-SP, Douglas Izzo.

O Carnaval de rua de São Paulo, que nos últimos anos voltou a ser referência no país, está sob risco de ser extinto ou ter seu formato totalmente modificado com a gestão do atual prefeito João Doria (PSDB). Desde que assumiu, no início deste ano, o tucano tem promovido ações de repressão e censura às diferentes manifestações de arte e ocupações dos espaços públicos por meio do programa “Cidade Linda”.

Doria ordenou que grafites fossem apagados de pontos famosos da cidade, proibiu o trabalho de artesãos na Avenida Paulista, anunciou a concentração da Virada Cultural num único local, o Autódromo de Interlagos, modificou decreto de zeladoria urbana, assinado pelo ex-prefeito Fernando Haddad, que garantia o respeito no trato à população em situação de rua, e sinalizou que blocos de outros estados terão de pagar até R$ 250 mil reais para desfilar. Por conta disso, o Carnaval deste ano também será uma manifestação de resistência e pela promoção do direito à cidade.

 

História
O bloco 'O Pinto do Visconde’, que integra o calendário oficial do Carnaval de rua da cidade, nasceu da iniciativa de um grupo de amigos que se reunia com frequência no antigo bar Absoluto, nas ruas Visconde de Parnaíba e Caetano Pinto, no Brás.

Organizado pelo Coletivo Estadual de Cultura da CUT-SP, a atividade conta com o apoio da CUT Nacional, da CUT São Paulo, confederações, sindicatos, comerciantes, moradores, trabalhadores e empresas da região.

 

Escrito por: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Serviço
Saída do Bloco de Carnaval ‘O Pinto do Visconde’

Quando: 17 de fevereiro de 2017, com concentração a partir das 17h
Onde: Em frente ao bar do Gerson, à Rua Caetano Pinto, nº 611, Brás, São Paulo-SP

Sitraemfa

Rua Gonçalves Crespo, 324 Tatuapé/SP
Tel: (11) 4324-5915
Horário de atendimento: 08h às 17h

 
 

Filiado a

CUT CNTSS