Evento, no dia 27, terá referências sobre o momento político do Brasil

CUT São Paulo, em parceria com sindicatos e organizações do Brás, realiza no dia 27, sexta-feira, o Arraiá da Democracia 2018. A festa, que tem o objetivo de integrar a comunidade da região, terá início às 18h, na Rua Caetano Pinto, altura do nº 575.

O “arraiá” foi construído por meio de um processo de mobilização da Central com os comerciantes, moradores e a igreja católica do bairro e sindicatos CUTistas da capital. “É uma festa aberta a toda família, feita na rua para resgatar as tradicionais celebrações de bairros, de amigos”, destaca o presidente da CUT-SP, Douglas Izzo.

Por meio de intervenções, a festa fará referências ao momento político do Brasil com o tema “defesa da democracia”. Estão previstas barracas de alimentos e bebidas, brincadeiras, quadrilha e show com Anna Morena, moradora do bairro.

O bairro

Criado na metade do século XVIII, o Brás é um dos bairros mais tradicionais de São Paulo e tem em sua história a luta operária – a primeira greve geral do Brasil, em 1917, teve origem na região –, a migração italiana e dos nordestinos e, nos tempos atuais, é referência no comércio de roupas.

No bairro também está localizada a sede da CUT Nacional, estadual e de confederações CUTistas. Como proposta de integração à comunidade, a CUT-SP e demais entidades realizam ou compõem a organização de diversas atividades no Brás, como o carnaval de rua com o bloco ‘O Pinto do Visconde’ e a Festa das Crianças.

Escrito por: Redação CUT-SP

 

Serviço

Arraiá da Democracia 2018

Dia: 27 de julho

Horário: 18h

Rua Caetano Pinto, nº 575, em frente à sede da CUT - Brás

Procurador do Trabalho valida acordo coletivo que garante benefícios só a quem contribui com Sindsaúde de Jaú

“Não se mostra justo que uma parcela da classe trabalhadora, em que pese não participar da vida sindical e não se engajar na busca por melhores condições de trabalho, beneficie-se de conquistas obtidas pela via do serviço de negociação coletiva.” (José Fernando Ruiz Maturana, Procurador do Trabalho em Bauru)

Quem não contribui com o Sindsaúde de Jaú e Região não tem direito às conquistas do Acordo Coletivo assinado pelo sindicato da categoria. Essa foi a decisão tomada pelo Procurador do Trabalho de Bauru José Fernando Ruiz Maturana, ao analisar queixa de funcionários que ficaram sem a cesta básica no Hospital Amaral Carvalho por não concordarem “com o pagamento da contribuição negocial ou com o desconto da contribuição sindical”.

Na decisão de arquivamento datada de 3 de julho, o procurador do Trabalho diz que um dos “queixosos” foi enfático em se dizer contra a contribuição e não contra o acordo coletivo. Por ser contra contribuir com a associação sindical, o trabalhador também não faz jus às conquistas, entende o procurador, que validou a cláusula do sindicato e mandou arquivar a reclamação dos funcionários que perderam a conquista.

Maturana citou decisão da Suprema Corte que decidiu ser necessária a autorização do funcionário para o desconto de contribuição sindical, da mesma forma apontou que sem a obrigatoriedade do desconto o sindicato é uma associação que só representa quem contribui.

Sentença pró-sindicato - “...os instrumentos coletivos não mais albergam todos os integrantes da categoria, mas apenas àqueles associados à agremiação ou que considerem vantajosos os benefícios previstos no instrumento coletivo de trabalho e aceitem pagar pelos serviços relacionados à sua celebração”, diz trecho da sentença.

Ele prossegue: “Não se mostra justo que uma parcela da classe trabalhadora, em que pese não participar da vida sindical e não se engajar na busca por melhores condições de trabalho, beneficie-se de conquistas obtidas pela via do serviço de negociação coletiva.”

Conclui dizendo que ninguém é obrigado a contribuir para a manutenção do sindicato da categoria ou de querer ou não as cláusulas do instrumento coletivo aprovadas em assembleia na sua relação individual de trabalho. Mas ressalta que a nova sistemática legal “vinculou o recebimento de benefício não previsto em lei ao pagamento pelo serviço prestado”. Ou seja, sindicato não pode trabalhar de graça para quem é contra o sindicato.

A DECISÃO DE ARQUIVAMENTO ESTÁ DISPONÍVEL NO SITE DO SINDSAÚDE DE JAÚ.

PERÍODO PROMOCIONAL - CARÊNCIA ZERO

Os trabalhadores da Rede Conveniada sindicalizados ao sindicato poderão fazer adesão ao convênio médico administrato pelo sindicato e entrar com carência ZERO, isso mesmo!!!! Seja um sindicalizado e aproveite esta oportunidade. Fale com um dos nossos diretores ou ligue diretamento no SITRAEMFA.

Estamos em período promocional de carência ZERO, que acontece de 02.07.2018 a 31/07.2018, para maiores informações ligue no setor de benefícios do sindicato e fale com Roseli/Meire, no telefone: 11 4324 5915

 

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2019 pode ter a votação nesta quarta ( 11)
A Comissão Mista de Orçamento deve concluir nesta quarta-feira (11) a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que estabelece quais serão os gastos da União para o próximo ano. A LDO prevê, entre outras medidas, o aumento das verbas voltadas para saúde e educação. Mas, para as entidades que participaram da audiência pública de elaboração do orçamento, os investimentos seguirão em queda devido a emenda do Teto de Gastos, em vigor desde janeiro de 2017.
Os especialistas entendem que apesar dos investimentos que decorrerão do aumento de 10% das emendas parlamentares para a educação e da previsão de reajuste em 5% de recursos de atenção básica na saúde, os estragos feitos pela PEC Teto de Gastos dificilmente serão recuperados se não houver fortes investimentos a curto prazo, que demandam ainda mais do Orçamento do país, que tem sofrido com a redução na produção e nos empregos e na consequente queda de arrecadação.
Dentre as soluções apresentadas para contornar a situação, os participantes apostam na realização de uma reforma tributária como primeiro ato do próximo governo.

Informamos que nesta semana não serão realizadas homologações na sede do SITRAEMFA e subsede Leste (10 à 13/07). E o retorno desta atividade será para próxima semana.
 
As homologações vencidas neste período poderão ser realizadas, na próxima semana, sem qualquer multa ou acréscimo.

Em função de atividades sindicais, a subsede leste, nesta semana, (10 à 13/07) estará com suas atividades suspensas. 

Retornando na próxima semana, segunda-feira, (16/07), normalmente.

à Direção. 

O Sindicato é o canal entre você e a luta pela garantia e ampliação dos seus direitos. Retirando a forca do seu Sindicato, você enfraquece a luta a seu favor.

Com a Reforma Trabalhista implantada por esse governo golpista, os direitos trabalhistas foram usurpados, para nos fragilizar, o que nos fortalece é o Sindicato, nossa Convenção Coletiva de Trabalho -CCT e a união dos trabalhadores.

E diferente do que o patrão afirma, a Taxa Negocial é descontada uma ÚNICA VEZ, no valor de 3% do seu salário base, após a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho.

SAIBA COMO FUNCIONA A TAXA NEGOCIAL

Durante o ano, os dirigentes sindicais têm agendas constantes com sindicato patronal, secretarias, fóruns, Central Sindical, Federação, etc. para garantir melhores condições de trabalho e aumento salarial. No período de CAMPANHA SALARIAL essas reuniões se intensificam em busca de melhorias nos salários e nas cláusulas sociais, e todos os encaminhamentos e deliberações são discutido e aprovado em assembleia geral dos trabalhadores.

Esse é o momento de mostrar para este governo ilegítimo, que apesar da retirada de direitos, a classe trabalhadora está unida e lutando junto com seu Sindicato por melhor qualidade de vida e, isso só é possível, com dignidade no trabalho.

No entanto, para aqueles trabalhadores que não concordam com este desconto deverão fazer a NEGATIVA À TAXA NEGOCIAL, que poderá ser entregue nos dias 10, 11, 12 e 13 de julho, das 9h às 12h00 e das 14h00 às 16h, na sede do sindicato (Rua Gonçalves Crespo, 324- Tatuapé).

O trabalhador deverá comparecer pessoalmente, com carta de próprio punho, em duas vias e documento de identificação com foto, para fazer a negativa da taxa. Este documento não será aceito pelo correio, nem tão pouco de terceiros. E o trabalhador deverá entregar a carta protocolada ao Recursos Humanos da organização, para não proceder ao desconto da taxa.

À Direção

       Estamos enfrentando um momento critico no país, num cenário de estagnação e inflação, a maior parte do problema vem de uma política econômica desastrosa e arrogante deste governo golpista que traz arrocho salarial, decadência política e acima de tudo retirada de direitos. Só o fortalecimento do seu sindicato e a união dos trabalhadores mudará este cenário.

         Trabalhadores a sua participação na assembleia é de extrema importância para avaliarmos a proposta patronal e darmos encaminhamentos.

         Vamos lembrar que a Convenção Coletiva de Trabalho é hoje a principal ferramenta de manutenção e ampliação de direitos.

         Faça valer seus direitos, e acima de tudo, participe, pois somente uma categoria unida é que poderá garantir os nossos direitos e cada vez mais organizados fortalecer a nossa luta.

         Neste ano discutiremos apenas as cláusulas econômicas da Convenção Coletiva de Trabalho, ou seja, o reajuste salarial.

ASSEMBLEIA GERAL DE CAMPANHA SALARIAL

PAUTA: RETORNO DO PATRONAL

DIA: 29/06/2018, PRIMEIRA CHAMADA 17:30, SEGUNDA CHAMADA ÀS 18:30

LOCAL: SEDE DO SITRAEMFA

RUA GONÇALVES CRESPO, 324 - TATUAPÉ

 
Nesta quarta-feira o prefeito de São Paulo, Bruno Covas anunciou, no décimo dia de greve dos caminhoneiros, que irá suspender o estado de emergência na cidade de São Paulo. A decisão será publicada no Diário Oficial do Município desta quinta-feira (31).
Durante seu pronunciamento Covas, ainda afirmou que irá decretar ponto facultativo na cidade na sexta-feira (01/06), para que a Prefeitura possa se organizar para a próxima semana.

A prefeitura do João Doria (PSDB), “O TRABALHADOR SEM TRABALHO” está se vangloriando que criou 26.059 vagas de creche. Isso não é verdade, na realidade o que aconteceu foi o remanejamento de vagas das creches para as EMEIs.

O “João enganador” na campanha salarial de 2017 precarizou os serviços da assistência social e educação. E pior, até o momento não fez o repasse do reajuste dado aos trabalhadores, do ano de 2017.

Além disso, a prefeitura de São Paulo, no mês de janeiro e fevereiro atrasou repasses, cortou verbas, muitos trabalhadores ficaram sem seus salários, precarizando ainda mais os serviços.  

As dificuldades foram intensas para conquistarmos o nosso reajuste salarial, tanto que tivemos que buscar a judicialização para conseguirmos o índice.

E esse ano não vislumbramos uma luta branda. O governo do PSDB com seu marketing ilusório é contra o desenvolvimento popular, porque suas políticas publicas não estão sendo desenvolvidas para nós, trabalhadores brasileiros que precisam levantar todos os dias para ir a luta por seus direitos.

Sitraemfa

Rua Gonçalves Crespo, 324 Tatuapé/SP
Tel: (11) 4324-5915
Horário de atendimento: 10h às 18h

 
 

Filiado a

CUT CNTSS