A direção do SITRAEMFA vem recebendo inúmeras denúncias de Trabalhadores (as), que não receberam o reajuste salarial previsto na Convenção Coletiva 2018/2019.

Esse reajuste de 4%, já foi acordado entre os dois sindicatos (patronal e dos trabalhadores) e, ainda aprovado em assembleia da categoria.

O prazo para pagamento do reajuste foi até o 5° dia útil de agosto. Lembramos que as secretarias da Assistencial Social e da Educação já repassou para as entidades parcerias, o reajuste do percapta.

O SITRAEMFA esclarece que a Entidade empregadora, que não cumprir a Convenção Coletiva, estará sujeita ao pagamento de multa prevista na cláusula 36° da CCT.

TRABALHADOR NÃO SE CALE,

LUTE PELO SEU DIREITO!!!

DENUNCIE JUNTO AO SEU SINDICATO!

   Atendendo ao ofício encaminhado pela direção do SITRAEMFA, a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMADS), recebeu nesta segunda-feira (23/04), a direção sindical para discussões sobre os trabalhadores da Rede Conveniada.
Nesta primeira reunião foi pontuado reajuste salarial votado em assembleia, que os trabalhadores reivindicam 8%, uma vez que a data base da categoria está se aproximando.
  O secretário Felipe Sabará afirmou que abrirá um canal de comunicação com a Secretaria de Finanças para verificar a possibilidade da reivindicação dos trabalhadores, no que foi lembrado pelo sindicato que na Campanha Salarial anterior (2017), houve tão somente, uma recomposição salarial, e neste ano buscamos um reajuste salarial adequado. 
  Também foi abordado pelo sindicato, a questão dos atendimentos de alta complexidade, sendo afirmado a necessidade de um seguro de vida, e/ou pagamento de adicional de insalubridade, sendo estas  bandeiras de luta sindical, a secretaria afirma que tais pontos devem ser estudados com cuidado, para um próximo momento.
  Foi discutida proposta de interação entre sindicato, secretaria e alguns colaboradores, sendo afirmado o interesse em estabelecer um cuidado com o trabalhador da Rede Conveniada, destacando a possibilidade de parcerias com intuito de trazer aos trabalhadores da categoria atendimentos, tais como: dentistas, psicólogos, formação, dentre outros. 
   Ficou acertada uma nova reunião para início de junho para alinhamento dos assuntos pontuados.

Em 2017, conseguimos impedir a votação da reforma da Previdência com a histórica greve geral de 28 de abril. Foi o recado dado pela classe trabalhadora ao governo golpista de que a sociedade brasileira não aceita a reforma porque ela significa o fim da aposentadoria.

Mantivemos nossas bases em estado de alerta e de mobilização ao longo dos meses seguintes, pressionando os parlamentares em suas bases eleitorais, e conseguimos que a votação fosse adiada para 2018.

No entanto, o governo usurpador não desistiu da proposta e anunciou a decisão de colocar reforma da Pevidência (PEC 287/16) em votação em fevereiro. A discussão do projeto será iniciada no próximo dia 5 e sua votação no Plenário da Câmara dos Deputados está prevista para o dia 19 de fevereiro.

A CUT orienta a intensificação da mobilização com o objetivo de paralisar suas bases em todas as regiões do país no dia da votação. Impedir a aprovação da reforma da Previdência é o principal desafio do momento.

Para derrotar o governo golpista, é preciso paralisar os locais de trabalho, fazer atos e manifestações, ocupando ruas e praças, e pressionar os parlamentares em suas bases eleitorais.

O que está em risco não é só o fim da aposentadoria, mas o aprofundamento do Estado de exceção. Em outras palavras, é o futuro do País que está em jogo. O resultado desta batalha decisiva dependerá do envolvimento de cada um e cada uma, da disposição de luta de todos/as. 

É fundamental ampliar o debate com os trabalhadores e as trabalhadoras, mostrando os riscos contidos na proposta de reforma da Previdência do governo golpista: o fim da aposentadoria. Mostrar a relação existente entre a agenda neoliberal do governo Temer (reformas contrárias aos interesses populares) e a candidatura de Lula (compromisso de convocar referendum para anular as medidas impopulares do atual governo). 

Dia Nacional de Lutas: Greve,  Paralisações e Manifestações

  1. Realizar assembleias em todos os sindicatos filiados para debater a reforma e  organizar greves, paralisações e manifestações.
  2. Realizar plenárias nas CUTs Estaduais para debater com os sindicatos a organização do Dia Nacional de Lutas e Paralisações no Estado e também a articulação da CUT e dos nossos sindicatos  com as demais Centrais  e os movimentos populares por meio das Frentes.
  3. Propor uma reunião o mais urgente possível com as Centrais nos Estados para debater as atividades no  Estado.
  4. Realizar reuniões com categorias estratégicas em cada Estado para organizar greves, paralisações e manifestações.
  5. Os ramos devem orientar os sindicatos e federações nos Estados para organizar as paralisações e manifestações.
  6. Fazer panfletagem e assembleias nos locais de trabalho.
  7. Criar comitês  nos municípios, envolvendo todas as categorias organizadas e sindicatos de todas as Centrais Sindicais para planejar as ações locais.
  8. Panfletar os bairros de maior concentração de trabalhadores/as e as áreas de maior circulação de pessoas na cidade.
  9. Buscar apoio das pastorais, das associações de bairro, dos movimentos populares.
  10. Utilizar as redes de comunicação disponíveis para divulgar  as greves, paralisações e manifestações,  esclarecendo os/as trabalhadores/as, assim como a população, sobre a importância da luta. Divulgar os resultados da greve no município, na região, no Estado e no País.
  11. Utilizar carros de som das entidades para fazer a divulgação da luta nas periferias.
  12. Utilizar rádios locais e comunitárias para ampliar o debate contra a reforma da Previdência e para divulgar as ações programadas para o dia 19/02.

Pressão sobre os parlamentares

Sabemos que a pressão sobre os parlamentares em suas bases eleitorais foi decisiva, até agora, para impedir o quórum (308 de deputados) para aprovar a reforma. Neste sentido, a Direção Executiva da CUT reitera a importância dos sindicatos continuarem com esta pressão, promovendo:

  • Atos e panfletagem frente às residências dos parlamentares;
  • Panfletagem, colocação de outdoors nas áreas de maior movimentação das cidades onde os parlamentares obtiveram maior votação;
  • Pressão sobre os cabos eleitorais dos parlamentares;
  • Articulação com associações comunitárias, movimentos estudantis e populares para a realização de manifestações locais;
  • Recepção nos aeroportos;
  • Envio de mensagens para os gabinetes por meio do site Na Pressão.

Será mantido plantão na CUT Nacional para coletar as informações dos Estados sobre o andamento dos preparativos do dia nacional de luta, greve e paralisações.

Acontece no dia 22 de junho, 7h, no Shopping Anália Franco a Corrida da Solidariedade BOMPAR, com o apoio institucional do SITRAEMFA.
 
Neste ano, o BOMPAR  realizará a Corrida da Solidariedade, com objetivo de arrecadar fundos para manutenção dos serviços e conclusão das suas obras de expansão. Atualmente o BOMPAR possui 54 unidades, com aproximadamente 10.000 atendimentos por dia, entre crianças, adolescentes, jovens, famílias, pessoas em situação de rua e idosos com atividades socioculturais, capacitação entre outros.
 
Todo o resultado financeiro com a realização do evento será revertido para a manutenção das obras do BOMPAR.
Contamos com a sua participação.

Programação:
Início: 05h30
Alongamento 06h40
Largada: 07h
Premiação: 08h15
Término: 09h30
 
Para inscrições e informações acesse o link: A CORRIDA DA SOLIDARIEDADE

A reunião de representante do mês de março aconteceu no dia 23/03, na sede do SITRAEMFA, os (as) trabalhadores (as) discutiram sobre a Campanha Salarial 2018 e informes.

Durante a reunião a companheira de luta Beth falou sobre as políticas públicas para as mulheres. Foi uma manhã cheia de esclarecimento, aprendizado e conscientização de direitos.

Após o almoço nossa companheira Marilene agraciou a todos com sua voz e muitas canções, os (as) trabalhadores, ainda interagiram com a banda “Um Bando de Véio” tocando e cantando, foi um dia de comemoração paras mulheres da nossa categoria. Um momento de fortalecimento, para avançarmos nas lutas.

Reajuste Salarial 2017/2018

Conforme publicamos anualmente segue a tabela de reajuste e o Piso salarial dos Professores de Educação Infantil - PEI ficará da seguinte forma: R$ 2.366,11, valendo de 1º de julho até 30 de junho de 2018.

 

Trabalhadores da Assistência Social

Em razão de divergências referente aos salários, dos trabalhadores da assistência social, constantes na Convenção Coletiva de Trabalho – CCT e os presentes nas portarias de SMADS. Comunicamos que as entidades deverão praticar os salariais descritos  na tabela, abaixo.

Informamos que, em havendo o pagamento de salários a menor que os constantes na tabela de salário salarial, abaixo, e no piso dos professores, acima descrito, o sindicato não homologará as rescisões contratuais que contiverem valores irregulares. E que tomará as devidas providências em caso seja constatada irregularidades nos pagamentos dos valores salariais dos trabalhadores. Tendo em vista que os salários estarão em desacordo com os percentuais de aumento pactuados entre os sindicatos dos empregados e dos empregadores.

Atenciosamente,

À Direção

 

QUADRO DE REAJUSTES SALARIAL (2013 A 2016)

     

REAJUSTE ANO DE 2013 (8%)

I FUNÇÃO DE GERENCIAMENTO

II FUNÇÃO SOCIOASSISTENCIAL

III FUNÇÃO DE APOIO E MANUTENÇÃO

Gerente de Serviço I

3.908,98

Assistente Técnico I

2.154,89

Técnico 40 h

2.262,65

Cozinheiro (a) 40 h

1.107,21

Gerente de Serviço II

3.134,22

Assistente Técnico II

1.851,58

Técnico 20 h

1.131,32

Cozinheiro (a) 20 h

553,59

       

Orientador Sócio Educativo 40h ou 16/36

1.300,50

Agente Operacional 40 h ou 12/36

904,67

       

Orientador Sócio Educativo 20 h

650,24

Aux. Administrativo 40 h

1.240,71

       

Técnico Esp. Nível Superior 40 h

2.274,80

Aux. Administrativo 20 h

619,28

       

Técnico Esp. Nível Superior 20 h

1.137,40

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 40 h

1.895,67

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 20 h

947,84

   

REAJUSTE ANO DE 2014 (7%)

I FUNÇÃO DE GERENCIAMENTO

II FUNÇÃO SOCIOASSISTENCIAL

III FUNÇÃO DE APOIO E MANUTENÇÃO

Gerente de Serviço I

4.182,60

Assistente Técnico I

2.305,73

Técnico 40 h

2.421,03

Cozinheiro (a) 40 h

1.184,71

Gerente de Serviço II

3.353,61

Assistente Técnico II

1.981,19

Técnico 20 h

1.210,51

Cozinheiro (a) 20 h

592,34

       

Orientador Sócio Educativo 40h ou 16/36

1.391,00

Agente Operacional 40 h ou 12/36

967,99

       

Orientador Sócio Educativo 20 h

695,75

Aux. Administrativo 40 h

1.327,55

       

Técnico Esp. Nível Superior 40 h

2.434,03

Aux. Administrativo 20 h

662,62

       

Técnico Esp. Nível Superior 20 h

1.217,01

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 40 h

2.028,36

   

Gerente de Serviço I

4.182,60

Assistente Técnico I

2.305,73

Técnico 40 h

2.421,03

Cozinheiro (a) 40 h

1.184,71

       

Técnico Esp. Nível Médio 20 h

1.014,18

   

REAJUSTE ANO DE 2015 (9,5%)

I FUNÇÃO DE GERENCIAMENTO

II FUNÇÃO SOCIOASSISTENCIAL

III FUNÇÃO DE APOIO E MANUTENÇÃO

Gerente de Serviço I

4579,94

Assistente Técnico I

2524,77

Técnico 40 h

2651,02

Cozinheiro (a) 40 h

1297,25

Gerente de Serviço II

3672,20

Assistente Técnico II

2169,40

Técnico 20 h

1325,50

Cozinheiro (a) 20 h

648,61

       

Orientador Sócio Educativo 40h ou 16/36

1523,14

Agente Operacional 40 h ou 12/36

1059,94

       

Orientador Sócio Educativo 20 h

761,84

Aux. Administrativo 40 h

1.453,66

       

Técnico Esp. Nível Superior 40 h

2665,26

Aux. Administrativo 20 h

725,56

       

Técnico Esp. Nível Superior 20 h

1332,62

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 40 h

2221,05

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 20 h

1110,52

   

REAJUSTE ANO DE 2016 (4%) Para os Salários de 1º de julho de 2016 á 30 de dezembro de 2016

I FUNÇÃO DE GERENCIAMENTO

II FUNÇÃO SOCIOASSISTENCIAL

III FUNÇÃO DE APOIO E MANUTENÇÃO

Gerente de Serviço I

4763,13

Assistente Técnico I

2625076

Técnico 40 h

2757,06

Cozinheiro (a) 40 h

1349,14

Gerente de Serviço II

3819,08

Assistente Técnico II

2256,17

Técnico 20 h

1378,52

Cozinheiro (a) 20 h

674,55

       

Orientador Sócio Educativo 40h ou 16/36

1584,06

Agente Operacional 40 h ou 12/36

1102,33

       

Orientador Sócio Educativo 20 h

792,31

Aux. Administrativo 40 h

1511,80

       

Técnico Esp. Nível Superior 40 h

2.771,87

Aux. Administrativo 20 h

754,58

       

Técnico Esp. Nível Superior 20 h

1395,92

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 40 h

2298,92

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 20 h

1154,94

   

REAJUSTE ANO DE 2016 (6%) Para os Salários de 1º de janeiro de 2017 á 30 de junho de 2017

I FUNÇÃO DE GERENCIAMENTO

II FUNÇÃO SOCIOASSISTENCIAL

III FUNÇÃO DE APOIO E MANUTENÇÃO

Gerente de Serviço I

5048,91

Assistente Técnico I

2783,30

Técnico 40 h

2922,48

Cozinheiro (a) 40 h

1430,08

Gerente de Serviço II

4048,22

Assistente Técnico II

2391,54

Técnico 20 h

1461,23

Cozinheiro (a) 20 h

715,23

       

Orientador Sócio Educativo 40h ou 16/36

1679,10

Agente Operacional 40 h ou 12/36

1168,46

       

Orientador Sócio Educativo 20 h

839,55

Aux. Administrativo 40 h

1602,50

       

Técnico Esp. Nível Superior 40 h

2938,18

Aux. Administrativo 20 h

801,15

       

Técnico Esp. Nível Superior 20 h

1469,07

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 40 h

2436,85

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 20 h

1224,23

   

REAJUSTE ANO DE 2017 (2,80%) Para os Salários de 1º de janeiro de 2017 á 30 de junho de 2018

I FUNÇÃO DE GERENCIAMENTO

II FUNÇÃO SOCIOASSISTENCIAL

III FUNÇÃO DE APOIO E MANUTENÇÃO

Gerente de Serviço I

5.190,27

Assistente Técnico I

2.861,23

Técnico 40 h

3.004,43

Cozinheiro (a) 40 h

1470,12

Gerente de Serviço II

4.161,57

Assistente Técnico II

2.458,50

Técnico 20 h

1.502,14

Cozinheiro (a) 20 h

735,25

       

Orientador Sócio Educativo 40h ou 16/36

    1.726,11

Agente Operacional 40 h ou 12/36

1.201,17

       

Orientador Sócio Educativo 20 h

863,05

Aux. Administrativo 40 h

1.647, 37

       

Técnico Esp. Nível Superior 40 h

3.020,44

Aux. Administrativo 20 h

837,97

       

Técnico Esp. Nível Superior 20 h

1.510,20

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 40 h

2.505,08

   
       

Técnico Esp. Nível Médio 20 h

1.258,50

   

 

 

Os trabalhadores da Rede Conveniada em Assembleia Geral de Campanha Salarial 2018, realizada na sede do SITRAEMFA, deliberaram por aceitarem pela contra proposta do patronal de 4% de reajuste salarial sobre o salário de julho e adequação do piso nacional dos professores, que passou para R$2.455,35.

Esse índice incidirá também no vale refeição para os trabalhadores que recebem o beneficio. Neste ano foram aprovadas apenas as clausulas econômicas.

Parabenizamos a todos os trabalhadores que lutaram pela manutenção de TODOS os benefícios da Convenção Coletiva de Trabalho, já conquistados.

O sistema para geração dos boletos voltou com algumas melhorias e para que você possa ter acesso aos seus boletos abertos e a vencer, basta acessar nosso site www.sitraemfa.org.br na aba Empresa - Emissão de Boletos, ou acesse este link: http://stf.completo.com.br:81/boleto/public/

Se este for seu primeiro acesso será necessário realizar um simples cadastro, para isso, clique em CADASTRE-SE. Nesta aba você deverá selecionar o tipo de relação com o sindicato (associado, Empresa ou Escritório de Contabilidade), preencha os dados solicitados, insira um e-mail e senha para seu login e aguarde a aprovação.

Após a aprovação, você poderá gerar e imprimir seus boletos em aberto e a vencer.

Mas se ainda assim vc não teve êxito entre em contato pelo telefone (11) 4324-5915 e solicite o setor de cadastro que lá poderão te auxiliar.

Atenciosamente,

SITRAEMFA

SETOR DE CADASTRO

Foram cinco dias de eleições, na qual os associados ao sindicato votaram em toda capital, litoral e interior. A contagem dos votos, aberta aos associados teve inicio com a chegada da última urna vinda da cidade de Batatais.

A contagem dos votos teve como presidente Renato Zucalo, representante da CUT, entre 8 escrutinadores e mais cinco fiscais da Chapa “Resistir e Lutar”. A primeira urna a ser aberta foi da sede do sindicato, que computou os votos itinerantes.

Nesta eleição tivemos apenas uma chapa inscrita, a chapas 2, encabeçada por Aline Louise e a Chapa 3, encabeçada pelo Professor Antonio foram impugnadas pela Comissão Eleitoral, por irregularidades  e mesmo com um única chapa as eleições continuaram, conforme preconiza o estatuto sindical.

E nesta data em que entra em vigor a reforma trabalhista, consagramos nesta eleição a nova diretoria, que tem como meta Resistir e Lutar contra esse governo golpista de Temer, o neoliberalismo de Alckmin e ainda contra o sem trabalho Doria.

 E em proclamação oficial do resultado das eleições, que irá eleger a nova direção do SITRAEMFA, o representante da CUT, Renato Zucalo informou que a chapa 1 “Resistir e Lutar” foi eleita com 86% dos votos válidos (2.503), tendo ainda 218 votos brancos e 187 dos votos nulos. 

Página 1 de 2

Sitraemfa

Rua Gonçalves Crespo, 324 Tatuapé/SP
Tel: (11) 4324-5915
Horário de atendimento: 10h às 18h

 
 

Filiado a

CUT CNTSS