boletim-noticias
 
Todas as manchetes principais, com exceção da do Valor, remetem para a indicação de Temer para o STF -  o ministro Alexandre de Moraes.
O noticiário é claro: sob a chancela de Gilmar Mendes, como relata a Folha, em Escolhido é acadêmico ‘criado na política’(p A5), foi escolhida a opção “política”, área onde o indicado pontuou em diversas atrapalhadas – quase sempre traído por sua orientação política.
Ex-filiado ao PMDB, atualmente filiado ao PSDB, a indicação não esfriou os ânimos da disputa entre os dois partidos por maior ocupação no loteamento der cargos após o golpe.
 
Manchetes principais
 
Moraes é indicado ao STF e se tornará revisor da Lava Jato –Correio 
 
Temer cede a pressão e indica Moraes para a vaga do Supremo– Folha de S.Paulo 
 
Temer indica para o STF aliado que deverá revisar a Lava Jato –O Estado 
 
Indicação de Moraes para o STF terá apoio do Senado- O Globo 
 
Novo boom do agronegócio acelera venda de máquinas –Valor Econômico 
 
Frisa que, “depois de quase dois anos de retração”, as vendas cresceram de forma acelerada no segundo semestre de 2016 e no primeiro mês deste ano. Acrescenta que “os números confirmam as expectativas de que o agronegócio é o primeiro setor da economia a se recuperar da crise, com previsão de safra recorde, aumento das exportações e expansão do PIB agropecuário”. Traz ainda que, desde que o atual Plano Safra do governo entrou em vigor, em 1º de julho, as vendas de máquinas agrícolas somaram cerca de 29 mil unidades, 30% acima do total registrado de julho de 2015 a janeiro de 2016. 
 
Roda a roleta 
Na mídia, uma das consequências imediatas é a a roleta de substitutos ao indicado, que já começou a girar. PSDB e PMDB disputam cargo na Justiça (Folhap A6), cita Nelson Jobim, Antonio Anastasia, Carlos Ayres Brito e Ellen Grace.
Ainda na P A6, Indicação vai aprofundar racha dentro do tucanato trata do acirramento entre Aécio Neves e Geraldo Alckmin.
No O Globo, PSDB e PMDB já duelam para comandar Ministério da Justiça, p 6, acrescenta à lista Eduardo Braga e Osmar Serraglio.
No Valor Econômico, em Temer indica Alexandres de Moraes para vaga no STF, p A10, o nome aventado é Antônio Cláudio Mariz de Oliveira.
 
Mídia caça palavra da oposição
Um dos destaques do noticiário é a previsão dos governistas de que não haverá dificuldades para a aprovação do indicado na CCJ, uma vez que ele conta com o apoio não só do PMDB e do PSDB, mas também do DEM. Outro destaque é a ausência de reportagens com a indignação com que o nome foi recebido por parlamentares do PT e de outros partidos de esquerda.
 
“Boa sorte”
Outro, é o risco que Alexandre de Moraes, de apenas 48 anos, representa para a integridade da Lava Jato, pois caberá a ele a revisão das sentenças a serem proferidas por Edson Fachin.
Dos EUA, onde se encontra para mais uma conferência sobre corrupção no Brasil, Sergio Moro deseja “boa sorte”, mas foge de qualquer avaliação,
Os grandes jornais, apesar dos senões secundários em reportagens que apontam deslizes cometidos pelo indicado no Ministério da Justiça e na secretaria de Segurança de São Paulo, dão apoio comedido à escolha de Temer. Pesa nesta avaliação a ação nos bastidores de Gilmar Mendes, principal fiador de Alexandres de Moraes no Supremo. 
 
Aperto nos caciques
Janot pede investigação de Sarney, Renan e Jucá – Estado – p A7
Procuradoria pede para investigar Jucá, Renan e Sarney- Folha – p A6
O pedido encaminhado ao STF pretende “apurar se políticos cometeram crime de embaraço às investigações da  Lava Jato”, com base em informações da delação premiada de Sérgio Machado,  ex-presidente da Transpetro.
Um dos parágrafos afirma: “De acordo com o delator e os investigadores, o grupo tinha o objetivo de estancar e impedir os avanços da Lava Jato sobre os políticos, especialmente do PMDB, além de PSDB e PT, por meio de acordo com o STF e da aprovação de mudanças legislativas”.
Em outro trecho, acrescenta que “Janot argumenta que há ‘elementos concretos’ de atuação de parlamentares ‘para favorecimento dos mais diversos integrantes da organização criminosa’”.
Recomenda-se a leitura na íntegra.
 
Grupo faz ato contra Moro em palestra em Nova York- Folha – p A6
Descreve tentativa de manifestantes de evitar evento da Universidade Columbia sobre corrupção no Brasil. Grupo acusou o juiz de “tendencioso”; à imprensa, Moro disse que se tratava de “pessoas mal informadas”.
 
Escolha acertada com Gilmar Mendes
Temer cede a partidos e indica ministro da Justiça ao STF* 
–Folha, p A 4
Reportagem atribui escola à pressão do PMDB e do PSDB e “ao trânsito no Senado” do indicado. Diz ainda que a escolha foi “selada” após encontro de Temer com Gilmar Mendes, na noite de domingo, e que é “remota” a possibilidade de a CCJ rejeitar a indicação.
“A expectativa é de que o nome seja aprovado na penúltima semana do mês, respeitando o prazo regimental”.
Quadro que acompanha a matéria mostra sua ação conturbada e questionável em cinco episódios recentes.
Na reportagem de apoio,Nomeação pode ter impacto sobre a Lava Jato (p A4), diz que sua presença no Supremo “não afetará diretamente porque ele não vai para a turma que analisa as investigações”, mas adverte que ele será o revisor da Lava Jato no plenário, podendo atuar em casos envolvendo Temer e os presidentes da Câmara e do Senado.
Registra ainda temor de Deltan Dallagnol manifestada em sua página no Facebook sobre o “forte impacto” que a presença de Moraes pode provocar na Lava Jato.
Em opção política, Temer indica Moraes para o STF – Estado, p A4
Decisão foi no final de semana, entre 2 nomes – Estado – p A5
O segundo nome cogitado era de Mauro Campbell
Jurista reconhecido, político controverso – O Estado – p A6 
Juristas não se surpreendem com escolha de ministro tucano-O Globo, p 5
Íntimo do mundo político, advogado é a antítese do perfil ‘sóbrio’ de Teori – Valor , p A 10  
 
“Expressamente  vedados por lei”
As onze notas iniciais da coluna Painel (Folha, p A4) referem-se à indicação do ministro da Justiça. As quatro primeiras acrescentam mais uma irregularidade em seu currículo com a pedalada fiscal por ele autorizada, no Ministério da Justiça, com o pagamento de diárias de R$ 550 para mil policiais que trabalharam nas Olimpíadas, sem previsão orçamentária.
Na quinta nota, Avisou os russos, afirma que a escolha “foi precedida de ampla consulta aos principais líderes do Senado. Temer, inclusive, almoçou com Eunício Oliveira”. (...) 
Recomenda-se fortemente a leitura na íntegra.
 
Opinião publicada
Vanessa Grazziotin
Simplesmente Marisa- Folha de S.Paulo¸ p A3
Homenagem póstuma a dona Marisa Letícia, lembrando que ela foi “vítima de agressões estúpidas, bestiais, semelhantes àquelas que levaram Getúlio Vargas ao suicídio. Que mundo é esse em que se comemoram a doença e o falecimento de alguém? Que seres humanos são esses?”
Recomenda-se a leitura e divulgação. 
 
Editoriais Iniquidade– Folha de S.Paulo, p A2 
Trata da diferença de salários entre o funcionalismo público e o trabalhadores do setor privado, a partir do ganho real dos salários em 2016 – 1,5% para o um, 1,5% para o outro, respectivamente. (...) “Como os primeiros gozam de ampla proteção contra o desemprego, a iniquidade se agrava”. (...)
 
Afinal, um País com rumo – O Estado, p A3
“Há ainda muitos problemas pela frente, mas a sensação de estar num trem desgovernado passou”. (...)
 
O perigo do direito autoritário – O Estado, p A3
(...) “Tem gente com poder sobre a operação [Lava Jato] que, sob o argumento de punir todo e qualquer ato de corrupção, deseja inverter a mais elementar lógica jurídica, pondo em risco o trabalho de toda a operação e, assim fazendo, consagrar no Brasil o direito autoritário, próprio das tiranias”.
 
Maria Alice Setubal 
*Oportunidade nas mãos dos novos prefeitos *– Folha de S.Paulo¸ p A3 
“A insistência em reduzir a crise brasileira ao aspecto econômico e em apontar saídas com foco apenas no ajuste fiscal reduz as possibilidades e os caminhos para superá-la, pois não considera a exclusão de milhares de pessoas do mercado de trabalho e do acesso a serviços básicos de saúde e educação”. (...) Sugere ações para os novos prefeitos e, na última linha, exorta: “Cometemos um erro histórico quando não priorizamos a educação na década de 1970; não podemos repeti-lo e, novamente, comprometer o futuro do Brasil”.
Recomenda-se a fortemente a leitura na íntegra.
 
Hélio Schwartsman e Julianna Sofia
Ele assinando Regressão à média, ela Planalto espera desgaste com indicação de Moraes para STF, ambos na p A2, comentam a escolha do ministro da Justiça, relacionando-a com a impunidade permitida pelo foro privilegiado antes concedido a Moreira Franco.
 
Benjamin Steinbruch
Em Uma “trumpalhada”, Folha, p A 18. Compara medidas do novo presidente dos EUA com a economia brasileira, concluindo que: “É hora, portanto, de repensar o ingênuo receituário neoliberal que propõe a abertura irrestrita do país e a entrega das empresas à sua própria sorte, sem apoio e proteção de nenhuma natureza para o capital nacional”.
 
Cão de guarda
Ainda no Painel, Carlos Marun (PMDN-MS), incansável defensor de Eduardo Cunha, diz que, como presidente da comissão que vai debater a reforma da Previdência na Câmara, diz que “a oposição terá espaço apenas no que for estritamente regimental e que não tolerará ‘teatralização dos trabalhos’”.
Reportagem a p A 12, 
Aliado de Cunha é indicado para presidir comissão da Previdência, informa que trabalhos começam nesta quinta, sem repetir plano de contenção da oposição.
No Estado, esmiúça-se a proposta enviada em Trabalho de risco pode ter nova regra para aposentadoria, p b4, dizendo que policiais e agentes penitenciários poderão ser beneficiados.
Recomenda-se a leitura.
À p 18, O Globo participa do tema com 
Previdência: idade e transição são inegociáveis para governo.
Na verdade, acrescenta a reportagem, são 3 pontos considerados “inegociáveis”:  1) idade mínima de 65 anos para homens e mulheres; 2)regra de transição com pagamento de pedágio de 50%, ou seja, um acréscimo de 50% sobre o tempo que falta para a aposentadoria (somente para homens com 50 anos ou mais e mulheres a partir dos 45 anos); 3) mudanças no cálculo de pensões e benefícios assistenciais são cruciais para que a reforma cumpra o papel de tornar a Previdência sustentável.
Recomenda-sea leitura na íntegra.
 
Surreal
Frase de destaque na coluna Painel
“Lotear os ministérios entre partidos já é um absurdo. Aceitar indicações partidárias para o Supremo é o absurdo do absurdo” - Regufe
 
Dona Marisa
A coluna de Mônica Bergamo dedica as quatro primeiras notas ao falecimento de dona Marisa. Três trazem a decisão dos advogados do ex-presidente Lula de processar a médica que vazou os exames da ex-primeira dama. O último registra as condolências dos ex-primeiros ministros britânicos Tony Blair e Gordon Brown.
 
Em defesa das cotas
Na p B3, folha descreve a façanha de Bruna Sena, de 17 anos, emNegra, pobre e da rede pública fica em 1º em curso mais concorrido da Fuvest, a Escola de Medicina de Ribeirão Preto. Bruna, personagem exemplar das políticas de inclusão dos governos do PT, defende as cotas “como paliativos que precisam existir”. E completa: “Não há como concorrer de igual para igual quando não se tem oportunidade de vida iguais”.
Recomenda-se fortemente a leitura na íntegra.
 
Enquanto isso...
Fies terá 150 mil vagas no primeiro semestre – Folha de S.Paulo, p B13
Número de novas vagas no Fies cai 40% - Valor Econômico – p B4
MEC reduz teto do Fies para R$ 5 mil por mês- Estado – p BA 15
MEC baixa teto de financiamento do Fies de R$ 42 mil para R$ 30 mil semestrais -  Globo, p 24
 
Descontrole à vista
Governo federal quer afrouxar regra para uso de verba do SUS-Folha, p B4, traz que a proposta do ministro Ricardo Barros, agrada estados e municípios pela liberdade que dará a gestores para uso de recursos “carimbados”, mas leva apreensão aos especialistas entrevistados. Segundo esses, vigilância sanitária e atenção básica correm sério risco.
Recomenda-se fortemente a leitura na íntegra.
 
Governo vai colocar mais R$ 1,4 bi para finalizar obras da Transnordestina- Estado – p B1
Diz que o governo adotou proposta apresentada da CSN, responsável pela ferrovia, com novo aporte para concluir projeto. TCU precisa aprovar.
Recomenda-se a leitura na íntegra.
 
Cunha: dentro ou fora da prisão?
Reportagem do Valor Econômico,Supremo decide se Cunha deve ser solto, p A10, considera “remota” a possibilidade do novo relator da Lava-Jato Edson Fachin, atender aos advogados do ex-presidente da Câmara. Fachin manteve na pauta de amanhã do plenário o julgamento de uma reclamação em que Cunha pede para ser solto. “O julgamento, se confirmado, será uma espécie de termômetro da disposição de Fachin em relação aos processos da Lava-Jato”, avalia o jornal.
Recomenda-se a leitura.
 
Salve-se quem puder
PM fica nos quartéis, mortes mais do que sobram e tropas federaisd não para o ES – Estado – p A13
Com medo, capixaba evita sair de casa  - Estado, p A14
Com PM em greve, ES tem aumento de violência e pede ajuda do Exército – Folha, p B1
Com 52 homicídios desde sábado, saques e escolas e shoppings fechados, governo estadual pediu ajuda. Governo federal enviou 200 homens da Força Nacional.
 
Ruim para nosotros
Com a chamada de primeira página Comércio com o Brasil gera muito déficit, diz Macri,reportagem  Macri quer equilibrar balança com o Brasil, na Folha p A9, remete para entrevista do presidente argentino concedida antes de sua visita oficial ao Brasil. O superávit brasileiro no ano passado foi de US$ 4,3 bilhões, “com mais de 80% relacionado à indústria automobilística”.
"Já fomos muito flexíveis. Para ajudar o Brasil nesse momento de recessão, continuamos comprando carros”, afirmou Macri, dizendo esperar do Brasil uma proposta que tenda para o equilíbrio.
Recomenda-se a leitura, acompanhada da reportagem da p A17, 
Empresariado pede mudanças no Mercosul, onde a CNI reclama de “paralisia completa” na agenda do bloco.
O Valor Econômico confirma a folga na balança brasileira emExportações brasileiras devem aumentar 8,6%
 
Na lanterna
A mesma CNI é protagonista de nota da coluna de Mônica Bergamo, em decorrência do estudo que realizou comparando taxa de investimento em 18 países, na qual o Brasil ocupa o penúltimo lugar, à frente apenas da Argentina.
“A China (44,3%) é a primeira da lista, que considera o total aplicado em relação ao PIB. O estudo mostra ainda que o Brasil também está em penúltimo lugar na classificação geral de competitividade entre os 18 países”.
 
Bloqueio bilionário
Procuradoria pede bloqueio de até R$3,8 bi de Joesley Batista, da J&F- Folha, p A 18
A J&F, que controla o JBS, com marcas como Friboi, Seara, Havaianas e Topper, é alvo de três operações da PF e responde a acusações de desrespeito aos fundos de pensão.
 
Sinais vitais
Vendas caem, mas setor automotivo prevê retomada –Folha, p A 11
Ressalva que, apesar da queda de 5,2% nas vendas de carros de passeio e veículos comerciais (leves e pesados) em janeiro, “setor continua a prever a retomada dos negócios ainda no primeiro semestre deste ano”, com base em dados do "chão de fábrica" que apontam alta de 17,1% na produção, em comparação com igual período do ano passado.
 
Teto para o topo
Governo amplia para R$ 9.000 limite de renda do Minha Casa, Minha Vida  - Folha, p A14, descreve que a mudança foi anunciada com a plateia “repleta de representantes do setor de construção civil”, além de Rodrigo Maia e Eunício de Oliveira, que ladeiam Temer na foto que ilustra a matéria. Meta da alteração é  a construção de 610 mil casas ainda neste ano. O valor teto dos imóveis também subiu: R$ 225 mil (R$ 240 mil para o DF e as regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro). 
 
Anúncio comemorativo
Na Folha,  p A15, assim como nos demais jornais, as associações das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), e dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Rio de Janeiro (AdemiRJ), e os sindicatos da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), da construção de Minas Gerais (Sinduscon-MG)  e do Rio de Janeiro (Sinduscon-RJ), assinam anúncio publicitário de página inteira Vamos construir 2017 com elogios à “coragem” de Michel Temer.
 
Olho vivo high tech
ONGs usam tecnologia para combater desvio de recursos públicos – Valor, p A4
“Um carrinho de limpeza valia R$ 418, mas quase foi comprado por R$ 20 mil. Um deputado federal pediu à Câmara reembolso por 13 almoços em um único dia. Outro solicitou também que fosse reembolsado por refeições em seis cidades e três Estados diferentes, feitas todas no mesmo dia”.
Recomenda-se a leitura.
 
Freio na Justiça
Contestado sobre imigração, Trump mira Judiciário como novo inimigo  - Folha, p A8
 
Mais do mesmo
Ato de Trump dá US$ 100 bi a bancos – Valor Econômico, p C3
O afrouxamento das regras impostas depois da debacle de 2008, poderá resultar no prêmio estimado no título para os seis maiores bancos norte-americanos. 
Recomenda-se a leitura.
 
Contra a lei
Israel regulariza 3.800 casas em colônias – Folha, p A10
Diz que decisão do Parlamento de Israel contraria decisão da Suprema Corte “que proíbe novos assentamentos”, devendo “complicar ainda mais as chances de paz com os palestinos”.

WhatsApp Image 2017-02-02 at 19.29.46

A direção do Sitraemfa nesta quinta-feira, 02/02/2017 decreta luto oficial pelo falecimento de Dona Marisa Letícia, mulher do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.

Em nota: "A família Lula da Silva agradece todas as manifestações de carinho e solidariedade recebidas nesses últimos 10 dias pela recuperação da ex-primeira-dama Dona Marisa Letícia Lula da Silva. A família autorizou os procedimentos preparativos para a doação dos órgãos".

O luto deste sindicato se prolongou com a morte da mãe do sindicalista, João Faustino.

Direção e Funcionários prestam suas condolências aos familiares, com emissão do mais respeitoso sentimento, que Deus conforte o coração de todos.   

WhatsApp Image 2016-12-17 at 09.35.08

Hoje, 17 de dezembro de 2016, em assembleia somente para sócios quites com suas obrigações estatutárias do SITRAEMFA foi realizada na sede do sindicato a prestação de contas do exercício 2015.

Na assembleia de prestação de contas a tesoureira, Maria Gusmão repassou aos presentes as contas do ano de 2015, detalhando aos trabalhadores a forma como foram encaminhados os valores de receitas operacionais e despesas operacionais.

No dia 8 de dezembro de 2016 foram convocados os diretores que compõe o Conselho Fiscal dos respectivos segmentos da Rede Conveniada e Fundação CASA, que deliberaram pela aprovação das contas.

            Na assembleia os sócios aprovaram por maioria de votos as contas do exercício 2015. Parabéns aos trabalhadores dos segmentos da Fundação CASA e Rede Conveniada que participaram deste exercício democrático. 

sindicalize

O Sindicato é o canal entre você e a luta pela ampliação dos seus direitos.  Retirando a força do Sindicato, você retira a luta diária que esses dirigentes fazem constantemente.

E diferente do que o patrão afirma a Taxa Negocial é descontada uma ÚNICA VEZ, no valor de 3% do seu salário base, após a homologação da Campanha Salarial.

 

Como funciona a taxa negocial?

Durante a campanha salarial, que da REDE CONVENIADA, é no mês de julho, os dirigentes sindicais lutam pelo aumento salarial dos trabalhadores (a).

Neste período os dirigentes participam de várias rodadas de negociações com patronal que querem arrochar os direitos sociais e econômicos dos trabalhadores que estão na Convenção Coletiva de Trabalho, mas os dirigentes buscam sempre o aumento dos direitos e dos salários de todos (as).

E todas as deliberações são levadas na Assembleia da categoria para aprovação.

Após a assinatura entre as partes (Sitraemfa e Simbfir), da Convenção Coletiva acontece o desconto da TAXA NEGOCIAL, em uma única parcela de 3% do seu salário base.  

Para aqueles trabalhadores que não concordam com este desconto deverão fazer a NEGATIVA À TAXA NEGOCIAL, que poderá ser entregue a partir desta sexta-feira, 18/11 a 27 de novembro de 2016, 9h às 16h, no dia 25/11, sexta-feira o atendimento ocorrerá até as 15hs, no sindicato (Rua Gonçalves Crespo, 324- Tatuapé).

O trabalhador deverá comparecer pessoalmente, com carta de próprio punho, em duas vias e documento de identificação com foto, para fazer a negativa da taxa. Este documento não será aceito pelo correio, nem tão pouco de terceiros. 

 

À Direção

CONVOCATÓRIA

É chegada a hora de erguermos as nossas bandeiras e exigirmos os nossos direitos.

Começaram as audiências públicas na Câmara da Cidade de São Paulo. É lá que se dão todas as discussões do orçamento municipal da cidade para o ano de 2017. São nessas audiências, que se definem o quanto de recurso será destinado para cada área como Saúde, Educação, Assistência Social, Transporte entre outras.

É sabido que, neste ano, tivemos uma campanha salarial muito difícil até chegar ao patamar dos 10% de reajuste salarial. Porém, como todos sabem o reajuste negociado e aprovado será repassando, para os trabalhadores, em duas vezes. Uma de 4% este ano e outra de 6% em janeiro de 2017.

Contudo, não podemos ficar parados e deixar de discutir uma forma garantir que os 6%, devido, seja, de fato, repassado no início do próximo ano.

 Toda via, só existe uma maneira de buscar garantir esse repasse. Que é estarmos presentes nas audiências púbicas que debate o orçamento da cidade. Precisamos deixar bem nítido que não vamos aceitar nenhum retrocesso.

Que vamos exigir, não só que seja garantido, no orçamento, os 6% pactuados esse ano, mas, também, um índice aproximado para o reajuste salarial de 2017. Não dá para, todos os anos, a categoria ter que esperar mais de 4 meses para receber o seu reajuste salarial.

E, pior, ser informada de que o poder público não tem recursos para reajustar as verbas dos convênios e, por conseguinte, os salários dos trabalhadores.

De certo, essa luta deveria ser principalmente, enfrentada pelas entidades conveniadas, reivindicando o aumento de reajuste da per capta dos convênios.

Mas como não presenciamos as mesmas tomarem essa decisão, e, ainda, aceitarem goela abaixo o que a prefeitura lhes empoe. Não resta outra saída se não, nós nos trabalhadores arregaçarmos as mangas e fazer esse enfrentamento. Precisamos lotar o plenário da Câmara Municipal, nas audiências públicas do orçamento municipal, na perspectiva de lutar por nossos direitos.

Neste sentido, o SITRAEMFA convoca a todos os trabalhadores da categoria (Educação Infantil e Assistência Social) para participar das Audiências Públicas do Orçamento Municipal para o ano de 2017, nos dias 10 e 21 de novembro, na Câmara Municipal da Cidade de São Paulo.

Cronograma das Audiências:

10/11/2016, das 15hs00 às 19hs00

21/11/2016, as 14hs00 às 17hs00

Local: Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100).

 

 

 

CAMP 2016

No sábado, (22/10) em assembleia geral de campanha salarial da Rede Conveniada 2016, foi aprovado, por maioria dos trabalhadores (as) presentes à assembleia, o acordo coletivo e, por conseguinte, o índice de reajuste salarial de 10%. O referido índice de reajuste foi conseguindo após vários meses de negociações com o sindicato patronal e com o poder público municipal.

Nas negociações, a prefeitura alegava não ter recursos para pagar o reajuste salarial dos trabalhadores. Por outro lado, o sindicato patronal, não se comprometia em estabelecer um índice de reajuste, uma vez que a prefeitura não garantia o repasse e, que as entidades, já vinham arcando com percentuais de anos anteriores. Como, por exemplo, de 2015, quando o acordo entre patrão e empregado foi de 9,5% e a prefeitura repassou apenas 5,5%.

Durante todo o processo de negociação a direção do Sindicato se deparou com essas as dificuldades. Porém, não abrimos mão do direito do trabalhador ter o reajuste, de pelo menos o índice da inflação do período anterior.

A nossa justificativa foi que os trabalhadores da Rede conveniada não são funcionários públicos e por isso não aceitaríamos o reajuste na forma que os professores da rede direta receberam, ou seja, parcelado e em dois ou três anos.

Lembramos que poucas categorias profissionais conseguiram reajuste acima da inflação. Nós, trabalhadores (as) da Rede, conseguimos um reajuste um pouco acima da inflação, ou seja, a inflação dos últimos 12 meses foi na casa do 9,15%, e negociamos 10%, com um aumento real de 0,85%.

Porém, nem tudo são flores. A prefeitura concordou com o índice de 10%, mas justificando não ter dinheiro em caixa para o ano de 2016, condicionou o repasse do rejuste em duas vezes: 4%, retroativo ao mês de julho e mais 6% em janeiro, sobre o salário reajustado com os 4%.

Diante desta imposição da prefeitura de conceder o reajuste, acima da inflação, mas condicionado ao repasse em duas vezes. Do cenário adverso, critico e de instabilidade política e econômica e, sem falar na incerteza jurídica com a possibilidade da proposta de reforma trabalhista, em que não se fechando acordo coletivo no ano vigente, as cláusulas do acordo coletivo do ano anterior, podem perder a valida. Ou seja, não mais ser válido e passando a vigorar somente os direitos negociados no acordo vigente (2016).

Com toda essa instabilidade conjuntural, o sindicato chamou uma assembleia geral da categoria e colocou todas as dificuldades apresentadas. Enfatizando todos os ônus e bônus de não se aceitar a proposta negociada junto ao sindicato patronal e a prefeitura.

Após a apresentação os trabalhadores presentes a assembleia decidiram por aceitar a proposta negociada de 10%, pago em duas vezes.

Entendemos não ser uma vitória contundente, mas também não é uma derrota, haja vista os índices de reajustes alcançados por outras categorias profissionais, este ano, durante esse período de instabilidade.

Neste sentido, solicitamos a todos os trabalhadores que acompanhem se as entidades então passando os índices acordados e, caso não esteja, que comuniquem imediatamente ao sindicato para que sejam tomadas as providenciais devidas.

 

"BORA PARA A LUTA!!"

fas
        O SITRAEMFA, assim como o Fórum da Assistência Social SP- FAS no cumprimento das deliberações da última plenária convocam trabalhadores, usuários e organizações sociais para a PLENÁRIA ABERTA, dia 11 DE JULHO, às 9hs, em frente à Secretaria Municipal de Assistência Social-SMADS, (Rua Libero Badaró, 569 Centro).

A nossa luta é o que garante a política pública nesta Cidade. Historicamente nosso gritos e bandeiras ecoam para a sobrevivência dos nossos serviços e atendimentos na área da Assistência Social e consolidação do SUAS, por isso não deixe de vir conosco, traga seus pares, reivindicações e bandeiras e juntos mais uma vez nas ruas.

Pautas:

  • Reajustes de convênio/2016; 
  • Verba Adicional 2016; 
  • Indicação para Comissão Eleitoral para próxima Gestão do FAS 2016/2017. 

Sua presença e participação são MUITO IMPORTANTES! 

pt

A sede do Diretório Nacional do PT, em SP, foi depredada na madrugada

A sede do Diretório Nacional do PT, localizada na região central de São Paulo, foi depredada na madrugada desta quinta-feira (30). Uma porta de vidro ficou completamente destruída.

Segundo a assessoria de imprensa do PT, por volta de 1h, um segurança ouviu um barulho e viu um homem quebrando a porta com uma picareta. Ainda segundo o partido, um carro da Polícia Militar apareceu logo em seguida e levou o suspeito para registrar um boletim de ocorrência. O homem identificado pela PM como Emilson Chaves Silva, 38, foi levado para o 8º DP, do Brás, na região central e foi liberado em seguida.

 

Um perfil no Facebook em nome de Emilson Chaves Silva traz uma postagem, na manhã de hoje, republicada diversas vezes que diz: "Foi eu quem ataquei o diretório nacional do partido dos trabalhadores e vou atacar de novo...".   Horas depois a postagem foi apagada. O UOL tentou contato telefônico e pela rede social com Silva, mas não obteve resposta.

Uma foto da depredação foi postada nesta manhã pelo secretário municipal de Saúde e ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha. No post, Padilha chamou o ato de "Escuridão sobre a tolerância e democracia".

O PT ainda não emitiu uma nota oficial sobre o ocorrido. Um advogado do partido acompanha o caso. O presidente nacional da sigla, Rui Falcão, estava em Brasília e seguiu para São Paulo nesta manhã após saber do ataque à sede.

O Diretório Nacional do PT foi alvo de buscas pela Polícia Federal na Operação Custo Brasil,   na semana passada, que culminou com a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, solto seis dias depois.

 

Sitraemfa

Rua Gonçalves Crespo, 324 Tatuapé/SP
Tel: (11) 4324-5915
Horário de atendimento: 08h às 17h

 
 

Filiado a

CUT CNTSS